sexta-feira, 28 de março de 2014

SKIN FOOD Banana Concealer

Não sei para vocês, mas para mim o corretivo perfeito é o produto mais difícil de achar. Nunca encontrei um que eu pensasse: "é esse!", então sigo em busca daquele que será meu holy grail.

Esse corretivo da Skin Food me chamou a atenção por ser de banana, prometendo ser hidratante e rico em nutrientes.


A embalagem é de plástico com a parte interna de metal, bem bonita e prática. O corretivo é em bastão e do tipo retrátil.



Desculpem por terem ficado embaçadas D:

A cor é a número #1 Light Banana (também tem a opção #2 Natural Banana). É um bege claro com fundo amarelado, que achei excelente pro meu tom de pele.

Sei que a pergunta que todos estão se fazendo é: "Tem cheiro de banana?" SIM! Tem cheiro de Bubbaloo de banana, na verdade (não sei se isso ainda existe ou se é da época de vocês, mas é o cheiro exato). Já vi algumas reviews falando que não tinha cheiro, talvez tenham dado azar de pegar um produto mais velho ou só a cor mais clara que tem o cheirinho? '-' Não sei, só sei que eu adoro o cheiro de Bubbaloo, é muito nostálgico.


Ele é bem macio e fácil de aplicar, porém a textura é bem sequinha ao toque. Apesar de ser seco, não marca áreas ressecadas da pele.

Não achei que cobriu bem as sardas, só deu uma cobertura leve nas manchas mais escuras. A cobertura é melhor quando aplicada sobre uma base de cobertua média, evidentemente, mas considerando o produto usado sozinho recomendo só pra cobertura de manchas bem claras e olheiras muito muito leves.

Custa de US$6,99 a US$13,30 no eBay. Não está caro, mas creio que possa achar algo melhor na mesma faixa de preço.

Resumindo, minha busca pelo corretivo perfeito continua.

Marca: Skin Food
Embalagem: ❤❤❤❤❤
Textura: ❤❤❤❤♡
Conforto: ❤❤❤❤♡
Cobertura: ❤❤♡♡♡
Durabilidade: ❤❤❤♡♡
Preço: ❤❤❤♡♡
Avaliação final: ❤❤❤♡♡

segunda-feira, 24 de março de 2014

KAO Liese Prettia Bubble Hair Dye + pintando o cabelo

Há muito tempo eu ando querendo testar uma tintura para cabelo japonesa. Além de terem essa aplicação super prática em forma de espuma (que eu acredito que tenha chegado aos produtos nacionais há pouco tempo) e achei que se dariam melhor com o meu cabelo. Uma vez uma amiga comentou comigo que uma outra amiga não se deu bem com elas porque tinha fios finos então achei que meu cabelo, que é tudo menos fino, teria boas chances.

As tinturas normais eu deixo até 1h e 15min no cabelo (sendo que a recomendação é de no máximo 45 minutos) porque acho que a cor simplesmente não penetra direito nos fios se eu deixar pelo tempo recomendado. Não sei o que era pra acontecer por causa desse meu relaxo, mas meu cabelo não caiu, não ressecou, não ficou quebradiço nem nada. Enfim, quis ver se uma tintura japonesa seria mais eficaz.


Fiquei em dúvida entre comprar um kit da Dariya Palty ou da KAO Liese Prettia e acabei optando pela Prettia pra começar porque o tom de vermelho me agradou mais do que as opções da Palty (mas é lógico que ainda vou comprar um kit da Palty pra experimentar também).



Cor escolhida: Cassis Berry



Resultado esperado



Conteúdo do kit



Instruções


Fui procurar alguns vídeos no YouTube e acabei achando esse vídeo da Bubz, que por sinal eu já tinha visto há algum tempo atrás xD Esse é mais completo e detalhado, mesmo se você não entender japonês, acho que é bastante visual e fácil de entender.



Comprei pelo ebay e custou US$16,95. Considerando que antes eu usava 3 kits de R$8 é, sim, bem mais caro, mas acho que não é muito mais caro do que um kit da L'oreal, por exemplo. Além do mais agora só preciso de um kit, e é bem mais prático e fácil. Sem sujeira e sem bagunça!

Gravei um vídeo (daquele jeito :B) pintando o cabelo e uma semana depois falando sobre resultados e pós-coloração.




Antes


Depois

sexta-feira, 21 de março de 2014

5 peças que todo guarda-roupa lolita deveria ter, independentemente do estilo

Mais um post do Desafio de 52 Semanas Lolita. Acredito que será especialmente útil para aquelas que estão começando ou pretender começar a usar lolita para ter uma ideia de itens que são essenciais e versáteis. Espero que gostem ♥



Ichigo Hime Store

Anágua cupcake branca de volume médio
A não ser nos classical mais classicudos que exigem anágua A-line ou nos OTT da vida que precisam da anágua cupcake mais superblasterpowerpoof que você conseguir encontrar, uma anágua cupcake de volume médio vai bem em todos os outfits.
Algumas pessoas preferem anáguas pretas por combinarem com a maior parte do guarda-roupa, e acho totalmente válido já que às vezes a anágua dá um "oi" por baixo da saia e é mais legal se ela for da mesma cor da saia, mas o branco é mais seguro se você gosta de cores claras e estampas, porque o preto pode fazer uma "sombra" por baixo da sua roupa.
Uma post que pode ser útil: A Lesson in Lolita 5: Sobre anáguas. Também tem esse post que fiz há eras atrás e de alguma forma acho que ainda é relevante: Dicas para conservação e uso da sua anágua.




Mesma blouse, com e sem as mangas removíveis

Camisa branca básica com mangas curtas ou removíveis
A princípio, evite camisas que sejam exageradamente sweet ou exageradamente gothic, por exemplo, a menos que você esteja planejando se manter fiel a apenas um estilo e não experimentar nenhum outro tão cedo.
Uma gola redonda, mas não muito grande, mangas volumosas, porém não imensas, e um babado no busto são praticamente universais.




Ichigo Hime Store

Bloomers
O bloomer é uma peça um tanto underrated, na minha opinião. Muitas meninas acham desnecessários ou mesmo feios ): É verdade que a função deles podem ser desempenhada facilmente por qualquer short curto e confortável, mas eu acho o bloomer visualmente muito mais atraente. É claro que ele não foi feito para ficar exposto, mas dá uma sensação extra de fofura e segurança e eu particularmente me sinto pelada sem eles! E também acho muito charmoso quando aparece um pouquinho do babado por baixo da roupa.
Assim como a anágua, a cor mais básica seria o branco, mas podem ser encontrados em várias cores e modelos, até mesmo estampados (o favorito é vermelho com corações brancos! ♥).
Um guia rápido sobre bloomers e drawers: A Lesson in Lolita 12 - Sobre drawers.



Acessórios de pérolas
Pérolas são elegantes e bastante neutras, vão bem em quase todos os subestilos (exceto alguns como guro e punk, imagino) e podem ficar especialmente interessantes se acrescentarmos elementos mais característicos de cada subestilo a elas (por exemplo, um pingente de coroa a um colar de pérolas para hime lolita, rosas para classic ou gothic, doces ou laços para sweet).




Contemplem minhas mad Paint skills

Kit básico de maquiagem
1. Gloss incolor - para criar um efeito de lábios mais volumosos, de boneca. Você pode usar o incolor sobre os lábios sem nada ou com qualquer cor de batom.
Na foto: Holika Holika Volume Tox Lip Gloss - cor Bloom Bling

2. Corretivo - para sumir com as olheiras e pequenas imperfeições. Pode ser em bastão, líquido, pastoso ou até em pó. Descubra qual tipo melhor se adapta ao seu tipo de pele.
Na foto: SKIN FOOD Rice Concealer - cor #21 Light Beige

3. Delineador - Também há vários tipos e cores. Líquido (com aplicadores caneta ou pincel), lápis (de apontar ou retrátil), em gel, etc. Para quem ainda não tem prática, recomendo os em lápis ou caneta, que são mais fáceis de aplicar.
Na foto: Dolly Wink Liquid Eyeliner - Black

4. BB cream ou base - Para uniformizar o tom da pele. Eu prefiro BB cream por causa da praticidade e por aliar alguns tratamentos de pele no mesmo produto, mas se você tem a pele mais escura pode ser difícil de achar um da sua cor.
Na foto: Holika Holika Clearing Petit BB (tenho review dele aqui).

5. Sombras - Podem ser líquidas, creme, bastão, lápis, pó compacto ou pó solto. Recomendo comprar uma paleta de cores neutras (dá pra achar paletas de mais de 20 cores no eBay por menos de US$10), ainda mais se estiver montando seu kit de maquiagem agora, porque ela vai aumentar bastante suas opções. Se você prefere comprar sombras individuais tenha uma branca, uma bege, uma creme, uma rosa antigo, uma marrom e talvez uma preta. Ao menos são as cores que eu mais uso até hoje, tanto em lolita quanto no dia a dia (acho esse sexteto um super coringa, pena que tenha sido uma edição limitada).
Na foto: Dolly Wink Eyeshadow - Sweet Dolly Brown 01

6. Blush - insdispensável seja para dar uma cara de saúde, de boneca ou de Pikachu. Pode ser encontrado em creme, líquido, bastão, pó solto ou compacto, a variedade de cores é bastante grande, há as versões cintilantes, opacas e matte. Eu acho os tons de rosa antigo universalmente flattering, seja em blush, sombra ou batom, então apostaria nele, ou um rosa mais claro se você está mais pra sweet. Pêssego é um bom tom se você curte algo mais discreto e natural, mas fuja dos vermelhos e laranjas (pelo menos por enquanto. No começo é melhor investir no que é seguro).
Na foto: Holika Holika Jewel-Light Blusher - Strawberry Pink

7. Batom cor de boca ou rosa antigo - De novo, porque acho que fica bem em todo mundo. Claro que o "cor de boca" vai variar de acordo com a cor natural dos seus lábios e da sua pele.
Na foto: Holika Holika Heartful Glossy Lipstick - Humming Pink

8. Pó - Ele faz a maquiagem durar mais tempo e em alguns casos ajuda a controlar a oleosidade e o brilho da pele. Pode ser compacto ou solto, ter cor ou ser transparente. Eu particularmente prefiro os soltos e translúcidos, e controle de oleosidade é um must.
Na foto: SKIN FOOD Peach Sake Silky Finish Powder (tenho review dele aqui).

9. Máscara - As máscaras não tem muita variação de cores, mas sim de aplicadores. Alguns deixam os cílios mais separados, outros ajudam a alongar, outros a dar mais volume.
Na foto: MAJOLICA MAJORCA Lash King

ITEM SURPRESA 10. Removedores de maquiagem - Porque de nada adianta ficar linda e maravilhosa com maquiagem e não tirar ela no fim do dia. A pele tem que respirar e pra isso é indispensável remover tudo direitinho e ter uma rotina de cuidados com a pele (falei sobre a minha rotina aqui, mas muita coisa mudou desde então e preciso fazer um post atualizando). Os removedores podem ser líquidos, em creme, em óleo ou bifásicos e é bom ter um para o rosto e um específico para a área dos olhos, que é mais delicada.


Poxa, essa última parte ficou tão comprida que poderia ter feito um post separado só pra ela xD Mas espero que tenha sido útil! É claro que existem muitos mais itens que não abordei nesse post como bronzers, highlighters, primers, etc etc. porque acho que fogem do que considero básico, mas acho que cobri o essencial.

Tenho mais dois posts/traduções sobre esse assunto de "coisas que lolitas devem ter", para quem interessar: 30 coisas que toda lolita deveria ter e Mais 20 coisas que toda lolita deveria ter.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Blessed Mabon!

Outono é minha estação do ano favorita, como muitos já devem saber. O início do outono também é chamado de Mabon, o sabbat de Equinócio de Outono, é o segundo Festival da Colheita (o primeiro é Lughnasadh ou Lammas). É uma época de agradecimento e introspecção, também é conhecido como o "Dia de Ação de Graças" das bruxas.

É tradição reunir amigos para jantar, celebrando a fartura, e também retirar um tempo para dar uma atenção à sua casa, consertar objetos estragados, restabelecer os estoques ou simplesmente fazer uma faxina. É comum em algumas tradições realizar uma bênção na casa no dia de Mabon.


Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat do Equinócio do Outono são os produtos do milho e do trigo, pães, nozes, vegetais, maçãs, raízes (cenouras, cebolas, batatas, etc.), cidra, romãs, castanhas, amêndoas, amoras pretas, jabuticabas e cravo.


Créditos:
Círculo Sagrado
Sapo Astral

domingo, 16 de março de 2014

Punk Rock e Beleza Formal

Estando nevando tanto aqui, ultimamente tenho relido minha cópia de Kamikaze Girls (o romance). Na primeira vez que li, eu sublinhei e fiz anotações nas margens com a ideia de eventualmente escrever algo profundo, cheio de significado, um artigo digno de clube do livro sobre ele. Tal artigo nunca ocorreu. Eu acho que a coisas mais preciosas para mim nesse livro, eu não posso expressar, ou talvez eu não queira revelar - como um coração secreto. Toda a sua graça, para mim, está trancada além da silenciosa e cheio de promessas sobrecapa em estilo renda-e-bordado.

Conforme eu chegava ao fim da história hoje entretanto, eu descobri uma nova seção do livro que eu não tinha lido - ou, bem, eu devo ter, já que sublinhei e anotei, mas eu certamente não me lembrava. Eu pensei que eu postaria aqui para vocês lerem, para absorverem sua sabedoria. As partes em negrito são as seções que sublinhei a mão na minha cópia.

(Nota: essa palavra final foi escrita especialmente para o lançamento do livro inglês/americano, que ocorreu depois de o filme passar/se tornar popular nos EUA. Essa palavra final é escrita especialmente para as lolitas de além-mar.)



Eu imagino que algumas de vocês escolheram esse romance depois de terem visto a adaptação para filme.

Bem, prazer em conhecê-la. Eu sou Novala Takemoto, um escritor Rococó que vem correndo impetuosamente na moda lolita completamente desabrochado há anos, apesar de ser um homem hétero.

Momoko, a garota que conta a história, é basicamente meu alter ego. Então se você se encontra identificando-se com o espírito de Momoko, isso significa que eu fui compreendido do outro lado do oceano, e isso me faz muito feliz.

Lolita é uma forma única de moda urbana que emergiu no Japão no final dos anos 70. Não há líderes no mundo lolita. Eu sou algumas vezes apresentado como uma autoridade em lolitas, e aprecio o apoio avassalador entre leitores com gostos lolita, mas mesmo assim, se minhas declarações e opiniões não encontram sua aprovação, eu encaro áspera repreensão. Lolita não reconhece nenhuma autoridade. Elas seguem apenas os valores que escolheram para si mesmas, apesar do que qualquer outra pessoa possa dizer.

Em outras palavras, lolita possui um espírito impassível na raiz que não pode ser atingido por homens, hoje. "Impassível", essa atitude estilosamente indiferente que se originou entre homens americano, deste modo passado adiante para um segmento que garotas no Japão chamaram lolitas. E agora está sendo passado de volta para garotas na America. Isso pode ter sido inevitável. A razão pela qual eu venho escrevendo livros sobre lolitas desde a minha estreia, Kamikaze Girls e outros livros, é que a sensibilidade impassível é a fonte do meu próprio estilo de vida e criatividade.

Enquanto lolita é um gênero de moda que brotou espontaneamente, ela realmente tem regras estritas. Franjas devem ser cortadas retas cobrindo as sobrancelhas, saias devem ser usadas sobre anáguas, e assim por diante. Desde que você se atenha a o que é elementar, o resto depende de você - você é livre para adaptar o look do jeito que te agradar, e abrir precedentes para a sua própria definição original de lolita.

Lolita é uma fusão do espírito do punk rock com a beleza formal que honra a tradição. Lolitas valorizam independência e beleza acima de todo o resto.


Em Kamikaze Girls, as duas garotas são atraídas pela natureza independente uma da outra e eventualmente acabam respeitando uma a outra. Mesmo que seus gostos e princípios sejam diferentes, elas se tornam ligadas pela amizade verdadeira porque elas aprendem a respeitar a estética por trás desses gostos e princípios.

...Por aqui, eu peguei a cópia japonesa de Kamikaze Girls que eu posicionei ao meu lado para escrever essa palavra final para a edição americana, e reli a última parte pela primeira vez em eras. Aah, esse discurso da Ichigo é muito bom, não é? Aquele que começa com "Momoko aqui não é minha amiga, vê?" Isso trouxe lágrimas aos meus olhos. (Ei, não leia suas próprias coisas e comece a chorar!)

Na verdade, no entanto, me pediram para escrever uma palavra final para a edição americana e eu disse ok, mas sabe de uma coisa? Tudo o que eu queria dizer, que é basicamente a mensagem de "vamos todos nos dar bem enquanto seguimos nossos próprios caminhos e fazemos qualquer diabo de coisa que quisermos!" está empacotado no próprio livro. Eu não acho realmente que eu tenha nada para acrescentar a isso nesse ponto. Apenas conectar com você, que estará lutando essa batalha comigo de agora em diante, é o suficiente para mim.


Wow. Uma coisa poderosa, realmente, quando você pára para pensar. Frequentemente Takemoto começa a divagar de uma maneira fofa e misteriosa, mas então ele tem momento abruptos de perfeita clareza - e essa carta tem alguns insights brilhantes. Eu acho que ele levantou vários bons pontos que nós faríamos bem em lembrar nessa simples, muitas vezes não lida carta para as lolitas de então - e agora. À propósito, mantenha em mente que ele escreveu isso no que nós agora nos referimos como "os dias do old-school", algo entre 2004 e 2006 - bem antes da súbita mudança da moda lolita nos anos 2000 (quando a Angelic Pretty dominou a cena e as prints multicoloridas começaram a crescer em popularidade).

Para começar, ele nos pegou: lolitas, por alguma razão ou outra, desgostam de autoridade. Qualquer um que clama ser uma figura de autoridade na moda lolita faz com que levantemos nossa guarda. A muito elogiada "expert lolita", La Carmina, vem a mente. Agora, por que isso? Acho que é a nossa reação natural a ser cercada por alguém que clama ter todas as respostas. Assim que alguém diz, "Eu sou uma expert em _____ (digamos, classic lolita)" muitas garotas também dizem, "Mas você não está pensando sobre isso nesse ponto de vista." Como ele continua dizendo, isso é por que lolita é algo pessoal. Eu sei que nós pensamos nela como uma moda, uma subcultura, uma comunidade, um conjunto de guias, mas no final do dia seu amor e interpretação de lolita é com você. Só você. Eu recentemente li uma citação que era algo como: "Você pode falar e compartilhar a noite toda, mas quando você dorme todos vocês tem sonhos diferentes." Dentro da silhueta lolita nós todas temos nossos próprios mundos de fantasia e sonhos diurnos - de lugar, tempo, localidade, cor, e moda, que emerge através das roupas. Eu pessoalmente tendo a achar um senso de "lugar" - quando eu vejo certas roupas, eu imagino a cena e mundo do qual elas vem. Pink House me faz pensar em campos gramados e velhos pomares no verão, passando para o outono; Angelic Pretty me faz pensar nas casas de boneca cor-de-rosa da Barbie e lojas de refrescos retrô. Mas outras garotas podem ter um senso de presença, como imaginar elas mesmas nas roupas, ou talvez um senso de som (imaginando uma peça de música?) para as auricularmente inclinadas. Eu sei que uma das minhas amigas expressa suas emoções em vídeos - eu me pergunto se as roupas dão a ela um senso de um vídeo musical silencioso?

Conforme você cresce dentro do seu estilo, brinca com outros, e desenvolve seus gostos estéticos, você começa a definir o que lolita significa para você. Não as comunidades, não o que é popular online, não para as revistas - mas para você. Ao invés de sentar e seguir as regras ou um subconjunto, faça as suas próprias. Outro dia, conforme eu pensava sobre Lolita Princess e sua aparência pura, eu me encontrei sonhando com um subestilo! Era lolita? Era mori girl ou hime-kei? Era um pouco misturado de vários lugares? Pode apostar. Quanto mais estilos parecem evoluir e explodir no Japão, mais eles não parecem tão diferentes. Garotas estão começando a meter o nariz alegremente em tudo de gyaru a pop-kei, mori girl e hime-kei. Eles parecem muito diferentes na superfície, mas abaixo dessa camada superficial eles são profundamente similares. A noção de bonecas, feminilidade, princesas, heroínas nos livros de histórias... são todas do mesmo mundo, não são? Definir seu estilo lolita não precisa ser simplesmente dentro do confinamento da lolita-ao-pé-da-letra. Dê uma olhada no "estilo lolita" dele acima - certamente não é um coordinate lolita feito em série! Ele combina suas peças de brand favoritas (frequentemente Baby the Stars Shine Bright e Vivienne Westwood) para definir seu próprio estilo andrógino, tendendo mais ao masculino ou feminino de acordo com o que ele acha que funciona.

Okay, nós não somos todas escritores andróginos usando meias 3/4 e bloomers como calças - mas muito do que as garotas que usam lolita no dia-a-dia redefinem seus estilos fora da caixinha. Moss Garden, por exemplo, é um bom exemblo de um "blog lolita" que se sente livre para se aventurar em outros reinos do estilo como natural-kei, dolly-kei e mori girl. Fairytale a La Mode, que nós classificaríamos em sua maioria como classic lolita, frequentemente vagueia a outros caminhos. Talvez seja por que como lolitas, isso nunca realmente nos deixa? Como Takemoto diz, vamos todas seguir nossos caminhos e nos dar bem enquanto fazemos o que quisermos! (...eu divago algumas vezes também, mas não de uma maneira fofa e misteriosa. É mais um estilo levantar de sobrancelhas, wait-what?)

De alguma forma, você também poderia considerar essa palavra final como uma motivação, sobre independência e coragem e até, talvez, apesar das nossas diferenças, solidariedade. Muitos dos seus poemas também tocam no assunto da coragem. Como qualquer uma que tenha saído pela porta de casa usando um full outfit lolita sabe, coragem - e insegurança - podem ser companheiras constantes. E isso não é dizer que se esconder debaixo das cobertas vai consertar esse problema - você pode encontrar tanta desaprovação online quanto na via real. Especialmente para alguém que decidiu ser independente e seguir o próprio caminho. Mas como a história de Momoko e Ichigo nos mostra, não são seus interesses em comum ou mesmo valores que as aproximam. É que elas reconhecem a mesma faísca de independência dentro uma da outra - em uma entrevista, Takemoto as chama de "gêmeas de alma", meio que o nosso dito: "duas faces da mesma moeda". Depois de toda a referência dele sobre seguir seu próprio caminho e desenvolver seu próprio estilo, ele também nos encoraja a apoiar aquela independência nos outros (mesmo que "outros" signifique yankis nojentas que cospem, é claro - ou, basicamente, outros estilos que não sejam sua xícara de chá). Ele quer que sigamos em frente, sejamos corajosas, e fiquemos ao lado dos outros que estão fazendo o mesmo.

Eu poderia continuar a dissertação sobre Novala Takemoto para sempre. Como minha jornada lolita começou com Kamikaze Girls, eu suponho que eu poderia dizer que sem sua escrita, eu não estaria onde estou hoje. Então de uma maneira pequena, eu espero que essa palavra final fique com você. Faça você pensar, ou se posicionar. Lembre-se: os valores lolita de independência e beleza acima de tudo; o espírito punk rock fundido com a beleza e amor de um mundo de fantasia. A princesa, a boneca, a donzela - está finalmente se levantando pelo direito de ser ela mesma. Eu espero que você o faça, também.



Créditos:
Original:
Punk Rock and Formal Beauty, do blog Parfait Doll
Tradução: Ichigo

quinta-feira, 13 de março de 2014

Resultado do Sorteio - Ichigo Hime Store + Le Café

Antes de anunciar a vencedora, sinto que devo explicações a todos.

O resultado estava previsto para sair no dia 08/03, então eu realizei o sorteio na noite anterior, e deixei o post semi-pronto para postar no dia, porém devido a motivos pessoais tive que viajar para São Paulo às pressas e só voltei hoje de manhã. Meu acesso a internet é restrito quando viajo (só uso a internet do celular), então fica complicado de atualizar aqui e responder as mensagens de todo mundo, então peço mil desculpas e conto com a compreensão de vocês.

Agora, sem mais delongas, a vencedora do sorteio é...

Kurai Hikari! Parabéns!


Além dos prêmios anunciados (anágua e bloomer Ichigo Hime Store e bolsa Le Café) estou enviando também um par de meias off-white :D

Lembrando que a vencedora tem até 2 dias para entrar em contato pelo e-mail ichigohimestore@gmail.com informando os dados para envio dos prêmios, especificando o assunto "Sorteio Reino de Morango no assunto. Caso não se manifeste em até 48h após o anúncio, um novo sorteio será realizado.

Agradeço muitíssimo a todas que participaram! Fiquem de olho que logo logo tem mais sorteio ;3

sexta-feira, 7 de março de 2014

J-fashion e moda alternativa e o que slutshaming tem a ver com você


fonte: fuckyeahsubversivekawaii

Slut shaming (ou slut-shaming) é definido como o ato de induzir uma mulher se sentir culpada ou inferior devido a prática de certos comportamentos sexuais que desviam de expectativas tradicionais de seu gênero.1 2 Estes comportamentos incluem, dependendo da cultura, ter um grande número de parceiros sexuais, ter relações sexuais fora do casamento, ter relações sexuais casuais, agir ou se vestir de uma maneira que é considerado excessivamente sexual. Isso geralmente é feito através de xingamentos, bem como de outras formas mais discretas ou disfarçadas. Entre os diversos insultos, pode-se encontrar os termos "vadia", "puta", "biscate", "oferecida", etc.
O slut-shaming atua de forma a policiar e restringir a sexualidade feminina e sua expressão, definindo os limites do comportamento sexual aceitável.
Fonte: Wikipedia


Gente, essa última frase é TÃO importante! "policiar e restringir a sexualidade feminina e sua expressão" Eu acrescentaria que não se trata só de reprimir a sexualidade: usar os insultos misóginos caracteristicos para criticar o modo de vestir ou a postura de uma mulher também se enquadra em slut shaming.

Ok, já expliquei o que significa o termo, mas o que ele tem a ver com lolita, j-fashion e outros estilos alternativos? Bom, eu tenho presenciado com frequencia assustadora meninas usarem o slut shaming como forma de se "diferenciar" de meninas de outros grupos e estilos que elas consideram vulgares e, portanto, inferiores. O que tem a ver achar que roupa define caráter e portanto te faz melhor ou pior que alguém eu não sei, mas parece fazer sentido para algumas pessoas. Loucura, não?

Vocês vão ver que eu uso o funk e as funkeiras como padrão de comparação nesse texto, mas isso se deve ao fato de que é o estilo que eu mais vejo sendo discriminado pelos adeptos de estilos alternativos. Não vou entrar no mérito de que o preconceito contra a cultura do funk (usei a palavra "cultura" para me referir ao funk, vai chorar? 8D) ser uma postura classista e racista, mas perdi as contas de quantas vezes vi meninas falando “eu queria usar lolita, mas aqui na minha cidade só tem umas funkeiras sem pudor”, “meus pais não me deixam usar lolita, mas não entendo por que. Ainda se minhas roupas fossem vulgares...” ou “pelo menos não estou por aí dançando funk”. Por que obviamente só ter funkeiras na sua cidade te impede de usar algo diferente delas, usar roupas "vulgares" te desqualificaria como uma filha que merece ganhar roupas lolita dos pais e dançar funk te faz ser uma pessoa ruim :D Só que não.

É compreensível que estilos tão diferentes não se misturem tanto. Não é de se estranhar que as roupas curtas e justas das funkeiras não agradem as lolitas, do mesmo modo que muita gente deve olhar pra essas meninas com roupas de boneca e pensar mil coisas, muitas delas não tão agradáveis, mas como pessoas que sofrem preconceito diariamente pela roupa que vestem nós deveríamos saber melhor. Nós não deveríamos julgar as pessoas pelas roupas, pela música que ouvem ou qualquer coisa que não esteja diretamente ligada ao caráter ou à maneira como elas te tratam e, como eu já disse, roupa não define caráter.

É totalmente normal você não partilhar do mesmo gosto (afinal, que chato o mundo seria se todo mundo fosse igual), achar “feio” o que as funkeiras ouvem ou vestem, mas você acha que elas são todas vagabundas por isso? É ótimo expressar individualidade e ter a liberdade de poder se vestir de maneira diferente dos padrões, mas como exatamente o fato de você usar uma saia rodada no joelho e não mostrar o vão dos seios te torna uma pessoa melhor, se você usa isso para humilhar as pessoas e se sentir superior?



fonte: fuckyeahsubversivekawaii

Mas não é só no sentido moda alternativa → funk que isso acontece, não. Já vi muita lolita sendo vítima de slutshaming vindo de outras (presumivelmente) lolitas. Casos de se valerem de anonimato (vocês sabem do que estou falando) para expor o que a menina faz ou deixa de fazer (especulações em sua maioria, mas mesmo assim) como uma tentativa de abalar a popularidade da pessoa ("oh, olha que vadia, não merece a admiração de vocês!"). Gente, é sério que a dor de cotovelo é tão grande que tem que se rebaixar a esse nível pra tentar atingir alguém? A falta de argumento é tanta que precisa ficar falando que uma é lésbica, que a outra tem relacionamento aberto e outra curte fazer coisas que você não como se essas fossem coisas ruins? Ruim é ser homofóbico! Ruim é não ter caráter!

Você não precisa gostar nem concordar com que as outras mulheres fazem ou deixam de fazer (embora seja sempre bom se perguntar por quê. Você apenas não gosta mesmo ou foi ensinada a achar isso?), mas você também não precisa expor as pessoas e humilhá-las pra mostrar que não concorda. Sabe o que mais você pode fazer pra mostrar que não concorda? Não fazendo igual. Se você sente necessidade de expor sua opinião porque não quer ser confundida com "esse tipo", se pergunte por que. A opinião dos outros é tão importante assim? Você acha que precisa xingar a funkeira pra mostrar que não é uma ou basta não curtir funk? Se você precisa ofender pra se diferenciar, sinto muito, mas você pode até estar sendo "diferente", mas dificilmente está sendo melhor.

"(...) vamos deixar uma coisa clara: você não é melhor que uma menina que usa shorts curto. Aliás, só achar que você é melhor que alguém por causa de roupas, já não te faz uma pessoa boa.

Se você tem interesse em ser melhor que a pessoa comum, recomendo programas de voluntariado. Tem de animais, pessoas com deficiência, doenças graves, crianças, idosos, doação de sangue. Tem programas de arrecadação de brinquedos, de livros, de fraldas geriátricas, de material de higiene pessoal. Tem dias para dar atenção, carinho, escutar alguém. Se for corajosa dá pra ir longe e ajudar a salvar o mundo da miséria, fome e doença nos cantos mais sujos e tristes do mundo. Só se envolver com a sua comunidade local, trabalhar numa horta, se envolver na política, movimentos sociais, já ajuda. Eu ando vendo muito sobre isso, se precisar de sugestões de programas e ideias, é só falar.

Eu te garanto que depois de participar desse tipo de coisa você vai descobrir uma coisa muito interessante: que você vai se sentir mais completa e não vai ser preocupar muito em se sentir melhor que os outros, porque você vai se sentir melhor com si mesma [sic]. A vida vai ter mais sentido. E não vai nem ligar se tem gente andando sem calcinha por aí, ou se tem homem beijando homem. Tanto faz. Eu quero é cuidar da minha vida e ser feliz. Se a pessoa está feliz assim, quem sou eu para julgar."

- Chadias (trecho retirado desse post)



Alguns exemplos de mensagens que vejo sendo amplamente compartilhadas no facebook que também podem ser consideradas slut shaming:

♦ Chamar cosplayer que faz cosplay sexy de cosputa (cosplay não é moda alternativa, mas :B)
Alguns ainda explicam que cosputa não é fazer cosplay de uma personagem sexy, mas erotizar uma personagem que não era pra ser sexy. Por que oh, pode usar original costume à vontade, mas como se atreve a mostrar mais do seu corpo do que eu acho correto? E depois ainda reclama se sofre abuso no evento!? Tsc tsc. (por favor, notem o sarcasmos. grata.)

♦ Chamar de hipócritas mulheres que curtem sair e ficar com outras pessoas e postam frases de amor
... mas quando um homem faz isso tudo bem, quer dizer que ele mudou, ou que está esperando a mulher certa por aí (afinal essas mulheres de balada não servem pra namorar, né? tsc tsc - mas ele vai pra balada e tá lindo e puro? Ok.)
Novidade quentinha pra vocês: Hipocrisia é isso aí que vocês fazem, flw.

♦ “Feio não é falar palavrão, feio é ser vadia.”
Feio é cuidar da vida dos outros e taxar de vadia quem você nem conhece, tá louca?



fonte: fuckyeahsubversivekawaii

Relendo esse texto eu posso perceber que pareço um tanto agressiva. Juro pra vocês que eu não estou querendo apontar o dedo no nariz de ninguém e falar "Nossa, que pessoa horrível você é! Que vergonha!", mas eu realmente quero que vocês reflitam sobre qual a necessidade de fazer isso, por que continuar fazendo e ficaria imensamente se pudessem parar.

Eu sei que é difícil. Eu sei que a gente cresce achando que somos todas rivais, a gente cresce aprendendo a não se amar, que ser mulher é ruim, que você precisa fazer X e Y, deixar de fazer outras tantas pra ser uma "mulher de verdade", "de respeito" e mais um monte de merda que tentam enfiar pela nossa goela desde cedo. A gente ouve que mulheres são falsas, interesseiras, fúteis, superficiais e acaba acreditando nisso. Tentam enquadrar a gente numa caixinha de gênero e comportamento apertada e escura que, adivinha? Não é confortável para nenhuma de nós. A grande maioria não se encaixa. E olha só, ser "diferente" não faz a gente melhor que a coleguinha, faz a gente humanas.

A gente é ensinada a se reprimir, que tantas coisas que são saudáveis e admiradas nos meninos são proibidas pra nós, que nosso mundo é limitado. Por que se limitar ainda mais odiando aquelas que, se você pensar bem, nem são tão diferentes de nós? Todas nós sofremos com isso em algum nível e sabemos como é. Se você não sabe, ou você é muito ingênua ou uma grande privilegiada. Se for o segundo caso, tenha consciência de que não é por que você nunca sofreu com isso que deve duvidar do sofrimento dos outros. Ou então você nunca percebeu por que está ajudando a causar esse tipo de sofrimento em outras pessoas, talvez? :/

Eu sei que amar e apoiar as irmãs é um passo muito grande. Sei mesmo. Mas tentar não odiar, não ofender e humilhar, é um começo. Respeitar é um grande passo.



fonte: fuckyeahsubversivekawaii

You can call me a sinner
And you can call me a saint
Celebrate me for who I am
Dislike me for what I ain't
Put me up on a pedestal
Or drag me down in the dirt
Sticks and stones will break my bones
But your names will never hurt
- Like it or not, Madonna

Você pode me chamar de pecadora
E você pode me chamar de santa
Me celebrar por quem eu sou
Desgostar de mim pelo o que eu não sou
Me por num pedestal
Ou me jogar na lama
Paus e pedras quebrarão meus ossos
Mas seus nomes nunca irão machucar

Agradecimentos especiais para a Paula RM que me ajudou com o post :3

quinta-feira, 6 de março de 2014

Compras - NYX

Ouvi falar que vocês gostam de post de compras, então reuni aqui duas compras que fiz no eBay só com produtos da NYX. A primeira foi com as single eyeshados e a paleta glitter, o restante foi na última compra, que chegou há algumas semanas atrás.

Gosto bastante da NYX por ser uma marca acessível, de boa qualidade e cruelty free (♥!), mas infelizmente comprar aqui no Brasil sai bem mais caro (um Round Lipstick de US$4 aqui custa R$29, como assim? :~). Apesar de não ter frete grátis, ainda compensa muito mais importar.



Single Eyeshadow: Black, Wild Fire e Black Sparkle.

Eu sou uma pessoa viciada em batons, mas muito desligada com sombras. Comprei duas pretas e uma verde (por causa do nome. GoT fans will get it). Que grande surpresa.
A embalagem é uma graça, bem resistente (já derrubei várias vezes pra poder afirmar com certeza. Por acidente, claro). As sombras são bem pigmentadas, fáceis de espalhar e esfumar, adorei elas ♥




Glitter Cream Palette: Surreal.

Pela foto do site o azul era roxo ): Mas okay porque o que me interessava mesmo era o verde e o branco ♥
Btw, alguém concorda que, tirando o rosa, a paleta é a cara da Copa? :B




Jumbo Eye Pencil: Sparkle Green, Milk e Black Bean.

Mais surpresas na escolha de cores. Branco porque é necessário, preto e verde por que sim. Mas gente, por que raios eu tenho tanta coisa verde? '-'




Slim Eye Pencil: Black Glitter.
Slim Lip Pencil: Hot red e Deep purple.

Esses são meus primeiros lápis de boca. Sei que o básico é, bem, um cor de boca, mas esses vieram como conjunto com os batons que comprei.
O lápis de olho... notei que é o terceiro delineador preto com glitter que eu compro. Tem que ver isso aí.




Super FAT Eye Marker: Carbon Black.

"The bold and daring liner". Parece meu tipo de eyeliner, já que eu nunca acerto o traço direito e acabo com esse efeito na tentativa de igualar os dois lados xD Vamos ver como me saio. Panda eyes, maybe.




NYX Round Lipstick: Chaos e Pandora.

O Chaos é um vermelho frio tão tão lindo *-* O Pandora é menos roxão do que eu pensava, e é metálico. Shocking. Como vou usar isso? No idea, mas eu vou. Trevas all over me.


E é isso aí. Se quiserem reviews detalhadas é só pedir (estou devendo várias, mas não custa tentar ;D)

quarta-feira, 5 de março de 2014

Por que eu não uso lolita com mais frequência?


fonte: we♥it

Já vi várias meninas falando que gostariam de usar lolita todo dia, mas, se eu tive uma fase assim, já não consigo me lembrar. Não tenho a menor vontade de usar lolita no dia-a-dia (ou mais frequentemente) por uma séries de motivos:

Variedade
Não tenho um guarda-roupa extenso o bastante que me permita fazer vários coordinates sem que fique monótono e/ou repetitivo, sendo assim prefiro guardar pra poucas ocasiões.

Clima
Minha empolgação pra vestir pelo menos 3 camadas (bloomer, anágua, saia) nesse calor: -8000.
Ou ainda: minha vontade de usar lolita num dia chuvoso e tomar respingos de enxurrada: -9000.

Praticidade/tempo
Eu teria que acordar bem mais cedo para me arrumar todos os dias. Além de ter mais peças para vestir eu não gostaria de sair de lolita com o cabelo desleixado e sem nenhuma maquiagem, então tem que por mais tempo nisso. E eu estou disposta a abrir mão de 5 minutos do meu sono que seja? Não.

Conforto
Nem todas as atividades do dia-a-dia podem ser facilmente executadas usando lolita. Transporte público lotado? Lavar louça e espirrar algo na roupa? Estar escrevendo ou pintado e respingar tinta? Todas as agonias.
Por essas e outras não entendo como alguém pode querer usar lolita pra ir pra escola, por exemplo.

Sem falar no trabalho que vai dar pra lavar e passar um monte de roupa com rendas e babados toda semana. Ain't nobody got time for that! D:

Eu só usaria lolita todo dia se não tivesse horários, obrigações, trabalho e tivesse alguém pra lavar, passar e fazer todo o serviço doméstico pra mim enquanto tomo chá, como doces, costuro, faço compras, etc. Isso sim é que é vida *-* ♥

Mas por enquanto uso uma vez a cada lua azul e está tudo muito bem, obrigada. (Saudades época de iniciante quando via oportunidade pra usar lolita em tudo :~ Saudades.)