quarta-feira, 25 de abril de 2012

Sobre crescer

Hoje em dia, a crítica moderna usa o adjetivo "adulto" como marca de aprovação. Ela é hostil ao que denomina "nostalgia" e tem absoluto desprezo pelo que chama de "Peter Panteísmo". Por isso, em nossa época, se um homem de cinquenta e três anos admite ainda adorar anões, gigantes, bruxas e animais falantes, é menos provável que ele seja louvado por sua perpétua juventude do que seja ridicularizado e lamentado por seu retardamento mental.
(...) Os críticos para quem a palavra adulto é um termo de aplauso, e não um simples adjetivo descritivo, não são e nem podem ser adultos. Preocupar-se em ser adulto ou não, admirar o adulto por ser adulto, corar de vergonha diante da insinuação de que se é infantil: esses são sinais característicos da infância e da adolescência. E, na infância e na adolescência, quando moderados, são sintomas saudáveis. É natural que as coisas novas queiram crescer. Porém, quando se mantém na meia-idade ou mesmo na juventude, essa preocupação em "ser adulto" é um sinal inequívoco de retardamento mental. Quando tinha dez anos, eu lia contos de fadas escondido e ficava envergonhado quando me pilhavam. Hoje em dia, com cinquenta anos, leio-os abertamente. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino, inclusive o medo de ser infantil e o desejo de ser muito adulto.
A visão moderna, a meu ver, envolve uma falsa concepção de crescimento. Somos acusados de retardamento porque não perdemos um gosto que tínhamos na infância. Mas, na verdade, o retardamento consiste não recusar-se a perder as coisas antigas, mas sim em não aceitar coisas novas. Hoje gosto de vinho branco alemão, coisa de que tenho certeza de que não gostaria quando criança; mas não deixei de gostar de limonada. Chamo esse processo de crescimento ou desenvolvimento, porque ele me enriqueceu: se antes eu tinha um único prazer, agora tenho dois. Porém, se eu tivesse de perder o gosto por limonada para adquirir o gosto pelo vinho, isso não seria crescimento, mas simples mudança. Hoje em dia, já não gosto somente de contos de fadas, mas também de Tolstoi, Jane Austen e Trollope, e chamo isso de crescimento; se tivesse precisado deixar de lado os contos de fadas para apreciar os romancistas, não diria que cresci, mas que mudei. Uma árvore cresce porque ganha novos anéis; já um trem não cresce quando deixa para trás uma estação e ruma para a seguinte, esbaforido. Na realidade, meu argumento de defesa é ainda mais forte e mais complexo. Hoje em dia, para mim, meu crescimento aparece tanto na leitura de romancistas quanto na dos contos de fadas, pois a verdade é que agora aprecio melhor os contos de fadas do que apreciava na infância: como agora sou capaz de inventir mais, também acabo extraindo mais. Mas não é esse o ponto que desejo enfatizar. Mesmo que o gosto por literatura adulta viesse meramente acrescentar-se ao gosto inalterado pela literatura infantil, o acréscimo, mesmo assim, mereceria o nome de "crescimento", o que não aconteceria se o processo consistisse em simplesmente deixar um fardo de lado e pôr outro em seus ombros. É verdade que o processo de crescimento, por acaso e por infelicidade, acarreta outras perdas. Porém, não é a essência do crescimento, e certamente não é o que faz do crescimento algo louvável ou desejável. Se assim fosse, trocar de fardos ou deixar estações para trás fossem a essência e a virtude do crescimento, por que parar na idade adulta? Por que não dar também um sentido positivo à palavra senil? Por que não congratular as pessoas por perderem os dentes e o cabelo? Certos críticos parecem confundir o crescimento com o preço do crescimento, e também gostariam de tornar esse preço muito mais alto do que ele naturalmente deve ser.

- C. S. Lewis


Esse texto foi retirado de "Três maneiras de escrever para crianças", do volume único de As Crônicas de Nárnia. Embora o texto fale sobre literatura e contos de fada achei impossível não relacionar com outras coisas corriqueiras da minha vida, entre elas, evidentemente, lolita.

Quantas de vocês já não ouviram uma ou mais das seguintes perguntas: "Você já não passou da idade de se vestir assim?", "Por que você não usa roupas mais adultas?", "Você está usando rosa de novo?". Isso sem contar os olhares tortos de gente que não te conhece, nunca te viu na vida, e te julga como "criançona" por usar laços na cabeça ou carregar uma bolsa de pelúcia.

Agora imagine se você além de usar lolita ainda coleciona bonecas (sejam elas Barbies, pullips ou BJDs), gosta de usar produtos feitos para crianças (desde shampoo de criança até eventuais compras nas seções infantis) e ainda adora My Little Pony e Ursinhos Carinhosos! Não precisa ser um gênio pra saber que muita gente vai achar que você realmente tem uma síndrome de Peter Pan. Sinceramente, eu acho que existe uma infinidade de coisas piores do que querer ser criança para sempre, mas não é essa a questão. A questão é que nós, lolitas (ou até mesmo meninas que não são lolitas, mas que tem atração especial por coisas nostálgicas), somos frequentemente incompreendidas por pessoas que acham que um aspecto da nossa vida domina toda ela.

Claro, lolita é uma parte importante da nossa vida e é claro que gostamos de coisas que de alguma forma estejam relacionadas a lolita, mas não são nossos únicos interesses, nem a única coisa com a qual nos preocupamos. Nós, lolitas, mantemos (ou resgatamos, depois de um período afastadas) muitas coisas que nos eram queridas na infância e também adquirimos gostos por coisas novas e diferentes que dificilmente seriam relacionadas com lolita. Nós estudamos, trabalhamos, temos famílias, amigos e namorados, alguns dos quais não entendem ou aprovam nossas escolhas e, com certeza, isso é muito mais difícil do que ignorar os comentários grosseiros na rua.

Mas não importa que achem que somos crianças por nos vestirmos assim ou gostarmos do que gostamos. A maioria de nós, que alguns acham que já passou da idade de se vestir assim, também já passou da fase de se preocupar com "parecer adulta" e buscar aprovação alheia pelo o que fazemos ou vestimos. Adolescentes mimados que acabaram de completar 14 anos podem se preocupar com passar uma determinada imagem, se irritar por falarem que eles parecem crianças e tentar provar que são alguma coisa, nós não precisamos disso.

Não vejo nada de errado em manter aquelas coisas que foram importantes para você na infância e permitir que continuem sendo parte da sua vida, mas realmente acho digno de preocupação abandonar as coisas que contribuíram para que você se tornasse o que você é simplesmente para criar uma nova versão de si mesma que não há garantia nenhuma de que será melhor do que a anterior. Ou ainda se envergonhar de admitir que gosta de alguma coisa por ser "coisa de criança".

Francamente não entendo que bem pode te trazer fingir ser algo que você não é ou agir de acordo com o que as pessoas esperam apenas para satisfazer os outros ou ser aceito (a menos que na realidade você seja uma pessoa horrível, estúpida e sem consideração por ninguém. Nesse caso, por favor, finja ser uma pessoa melhor, ou se torne uma de fato). É claro que eu não sou alienada e tenho consciência de que roupas realmente fazem muita diferença para causar uma boa impressão numa entrevista de emprego e coisas assim, mas não é como se alguém fosse para uma entrevista usando peruca rosa e print de unicórnio, né? E não é só sobre roupas que estou falando, como espero que tenham percebido '-'

Eu sei que é um tanto batido, mas é verdade: As pessoas vão te julgar não importa o que você faça. Sendo assim, não parece melhor que te julguem por ser uma pessoa que, na pior das hipóteses, está satisfeita consigo mesma ao invés de uma pessoa frustrada que, não importa o que faça, não consegue a aprovação que tanto deseja?

Me desviei um tanto do assunto inicial, mas é inevitável quando começo a pensar sobre essas coisas. O fato é que eu comecei a divagar, lendo o texto do Clive, sobre o quanto as pessoas acham que sabem sobre nós por uma ou outra coisa que deixamos aparente, e como as pessoas ainda hoje (o texto foi escrito há mais de 50 anos atrás) supervalorizam a vida adulta, coisa que pode ser notado pelo encurtamento da infância: crianças largando os brinquedos cada vez mais cedo e usando maquiagem, gravidez precoce, abuso de álcool... todas essas coisas que hoje em dia, infelizmente, acontecem cada vez mais cedo e são vistas com a maior naturalidade, enquanto gostar de bonecas (ou de se parecer com uma) é uma coisa anormal e doentia.

Essas são só algumas coisas que eu penso quando vejo alguém dando a entender que devemos evitar coisas de criança e ter como objetivo de vida "ser adulto". Crescer para mim tem a ver com assumir responsabilidades, ter coragem de enfrentar os problemas e assumir seus erros, e nada tem a ver com trocar o rosa pelo cinza, parar de assistir filmes Disney para só ver noticiários e abandonar os contos de fada para ler jornal. Também acredito que gostar de "coisas de criança" não é se recusar a se tornar adulto, mas reconhecer que crescer não é abrir mão das coisas que te fazem feliz e deixar que elas continuem sendo parte de você.



Ah! Talvez algumas pessoas tenham estranhado a imagem que usei no começo, mas eu achei a evolução do Slowpoke para Slowbro muito apropriada para ilustrar esse post. Slowpoke e Shelder se unem para evoluir, acrescentando algo um ao outro, não simplesmente mudando. Além disso, Pokémon é uma dessas coisas que eu gostava quando era criança e continuo gostando até hoje :)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Dia 18 - Uma foto do seu estilo lolita favorito

Sweet classic :3 Gosto da silhueta sweet em motivos mais discretos e menos "excesso de informação" do classic. Aliás, ultimamente estou tendendo mais pelo gosto por classic do que o lado sweet da coisa.

sábado, 21 de abril de 2012

Hello Kitty Party!

Como muitas de vocês já devem saber, chegaram às bancas a coleção Hello Kitty Party :3 Cada fascículo vem com um livrinho de receitas e uma peça de porcelana. O primeiro volume custa R$9,90 e os demais R$24,90.

Quando eu fui na banca tinha já os dois primeiros :3

O primeiro volume vem com um prato raso grande e um livrinho de buffet frio.




Tem até umas receitinhas de drinks e coquetéis huhuhu :x


O segundo volume é de café da manhã e vem duas canecas! Mesmo sendo mais caro ainda achei que R$24,90 foi barato por serem duas canecas e um livrinho.




Tem receitas de muffins, panquecas, omeletes... uma mais apetitosa que a outra D:

Vou tentar completar a coleção '-' Estou super ansiosa pelas xícaras e pires! Na próxima edição vem mais um prato e o livrinho de receitas tem como tema um jantar romântico *-*

Ah! Curtam a página da Hello Kitty Party no facebook ♥

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Linha Hello Kitty Betulla


Faz algum tempo que a Cherry me pediu uma review desses produtos, e aqui está!

São três opções: maçã verde, uva e frutas vermelhas. O de uva é para cabelos cacheados, o de frutas vermelhas é para cabelos lisos e o de maçã verde para cabelos claros. O cheiro do de maçã verde é ótimo, já o de uva parece remédio >: E é claro que o de frutas vermelhas é o melhor nesse quesito u_úv *suspeita pra falar*

Essa é uma linha infantil (como vocês podem perceber pelo aviso de "não irrita os olhos" na embalagem) e quando compro produtos infantis eu geralmente espero cheirinho bom e nenhum milagre. Mesmo assim, fiquei muito feliz com os resultados.

O shampoo realmente dá aquela sensação de limpeza, e o cheirinho não desaparece logo depois que o cabelo seca, como acontece com alguns. Na verdade o cabelo fica perfumado por bem mais de um dia inteiro ♥ O condicionador e o creme pra pentear desembaraçam o cabelo com muita facilidade, e deixam o cabelo macio sem pesar.

Em uma semana de uso notei meu cabelo mais macio e com um volume legal :3 (nem uma juba nem escorrido... just right) Esse tipo de produto me faz querer comprar tudo de criança, parece que tudo que é pra criança eles fazem melhor >: *cof cof protetores solares mais resistentes a água com cheiro de chiclete ;^;*

Outra coisa legal é o preço! Paguei R$7 no shampoo e no condicionador, e R$8 no creme para pentear. Podem ser encontrados na maioria dos supermercados grandes, farmácias e perfumarias. Você também pode comprar na loja virtual da Sanrio

Super recomendado ♥

domingo, 15 de abril de 2012

Dia 17 – O que você quer mais do que qualquer coisa agora?


Mini meeting de potterhead lolitas com outfits temáticos :D

(Céus, adoro esse vestido da Moitié. Logo que vi as opções de cores pensei nas Casas xD

Aproveitando, eu tenho alguns outfits que montei com temática das Casas aqui (na verdade só um de cada e vários da Sonserina).

sábado, 14 de abril de 2012

Slytherin Pride!

Então, o Pottermore finalmente abriu para que todos possam se registrar :) Isso me lembrou de postar isso: quando você é selecionado, o monitor da sua casa faz um discurso. Esse é o discurso da monitora da minha casa. Eu não consigo descrever quão feliz eu fiquei por ter caído na Sonserina. O Teste da Casa do Pottermore é bem subjetivo, não tem perguntas óbvias e babacas tipo "Qual sua cor favorita? a) Vermelho b) Verde c) Azul d) Amarelo" ou "Qual seu animal favorito? a) Leão/grifo b) Serpente c) Águia d) Texugo" Derp -_-' Enfim, lidem com meu orgulho ;_; hahaha :~



Parabéns! Eu sou a monitora Gemma Farley, e estou encantada em te dar as boas vindas a nossa casa Sonserina. Nosso emblema é a serpente, a mais sábia das criaturas; as cores da nossa casa são verde esmeralda e prata, e nossa sala comunal fica atrás de uma entrada escondida nas masmorras. Como você verá, as janelas tem vista para as profundezas do lago de Hogwarts. Nós frequentemente vemos a lula gigante esguichando por aí - e às vezes criaturas mais interessantes. Nós gostamos de sentir que nosso ponto de encontro tem a aura de um misterioso naufrágio submerso.


Agora, há algumas coisas que você deveria saber sobre a Sonserina - e algumas que você deveria esquecer.

Primeiro, vamos dissipar alguns mitos. Você deve ter ouvido rumores sobre a casa Sonserina - que nós somos todos interessados em Artes das Trevas, e só falaremos com você se seu tataravô foi um bruxo famoso, e tolices como essa. Bom, você não vai querer acreditar em tudo o que você ouve das casas rivais. Não estou negando que nós produzimos nossa quota de bruxos das trevas, mas também assim fizeram as outras três casas - eles apenas não gostam de admiti-lo. E sim, nós tradicionalmente tendemos a aceitar estudantes que vem de longas linhagens de bruxas e bruxos, mas hoje em dia você encontrará muitas pessoas na Sonserina que tem pelo menos um pai trouxa.

Aqui vai um fato pouco conhecido que as outras três casas não falam muito: Merlin foi um sonserino. Sim, o próprio Merlin, o bruxo mais famoso da história! Ele aprendeu tudo o que sabia nessa mesma casa! Você quer seguir os passos de Merlin? Ou você preferiria se sentar na antiga carteira daquela ilustre ex-Lufa-Lufa, Eglantine Puffett, inventora do Pano de Louça Auto-Ensaboante?

Eu achei que não.


Mas isso é o suficiente sobre o que nós não somos. Vamos falar sobre o que nós somos, que é a casa mais legal e afiada da escola. Nós jogamos para ganhar, porque nós nos importamos com a honra e as tradições da Sonserina.

Nós também conseguimos o respeito de nossos colegas. Sim, algum desse respeito pode dar a impressão de medo, por casa da nossa reputação das Trevas, mas você sabe de uma coisa? Pode ser divertido, ter uma reputação por andar do lado selvagem. Espalhe uns poucos sinais de que você tem acesso a toda uma biblioteca de maldições, e veja se alguém tem vontade de roubar seu estojo.

Mas nós não somos pessoas ruins. Nós gostamos de nosso emblema, a cobra: lisonjeira, poderosa e frequentemente mal compreendida.

Por exemplo, nós sonserinos cuidamos uns dos outros - o que é mais do que você pode dizer da Corvinal. Além de serem o maior bando de CDFs que você um dia poderia encontrar, Corvinais são famosos por escalar um por cima dos outros para conseguirem boas notas, enquanto nós Sonserinos somos irmãos. Os corredores de Hogwarts podem apresentar surpresas para os descuidados, e você ficaria contente em ter as serpentes ao seu lado para se deslocar pela escola. Contanto que estejamos envolvidos, uma vez que você se torna uma cobra, você é um de nós - um da elite.


Porque você sabe o que Salazar Slytherin procurava em seus estudantes escolhidos? As sementes da grandeza. Você foi escolhido para essa casa porque você tem o potencial para ser grande, no real sentido da palavra. Certo, você pode ver algumas pessoas no sala comunal que você pode não pensar que estão destinadas para qualquer coisa de especial. Bem, guarde isso para você mesmo. Se o Chapéu Seletor as colocou aqui, há algo de excelente sobre elas, não se esqueça disso.

E falando em pessoas que não são destinadas a grandeza, eu não mencionei os grifinórios. Agora, muitas pessoas dizem que sonserinos e grifinórios representam os dois lados da mesma moeda. Pessoalmente, eu acho que grifinórios não são nada mais do que sonserinos wannabe. Lembre-se, algumas pessoas dizem que Salazar Slytherin e Godric Gryffindor prezavam o mesmo tipo de alunos, então talvez nós sejamos mais similares do que nós gostaríamos de pensar. Mas isso não significa que nós somos próximos dos grifinórios. Eles gostam de nos derrotar apenas um pouco menos do que nós gostamos de derrotá-los.

Algumas coisas mais que você pode precisar saber: o fantasma da nossa casa é o Barão Sangrento. Se você ficar do lado certo dele ele algumas vezes concordará em assustar pessoas para você. Apenas não pergunte a ele como ele conseguiu as manchas de sangue; ele não gosta.

A senha para a sala comunal muda a cada quinzena. Fique de olho no quadro de avisos. Nunca traga ninguém de outra casa a nossa sala comunal ou conte a eles nossa senha. Nenhum intruso entrou aqui há mais de sete séculos.

Bem, eu acho que é tudo por enquanto. Estou certa de que você gostará dos nossos dormitórios. Nós dormimos em camas de quatro colunas antigas com cortinas de seda verde, e roupa de cama bordada com linhas prateadas. Tapeçarias medievais representando as aventuras de sonserinos famosos cobrem as paredes, e lanternas de prata estão penduradas no teto. Você dormirá bem; é muito calmante, ouvir a água do lago batendo nas janelas a noite.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

São Paulo - dia 4 (+ Dia 16 - Seu outfit para o dia)

Meu último dia em São Paulo >:

Aproveitando para retomar o Desafio Lolita (sem um outfit lolita, mas eu queria voltar logo o_o'), isso foi o que usei no dia:


Vestido: handmade
Sapatos: Melissa
Bolsa: Le Café
Cinto: offbrand
Colar de morango: Paris Kids
Anel de relógio: Metamorphose temps de fille

Como no dia anterior a Fonomag e a Hime-ya não abriram voltamos lá no sábado na hora do almoço. Eu precisava comprar uma revista e uma lembrancinha pra minha irmã (sempre compro algo quando vou na Liberdade...)




Tirei essas fotos quando já estávamos indo embora ^^'




Almoço! Zarusoba com tempurá ♥ Macarrão gelado num dia quente é muuito bom ;^; Esse tempurá era diferente também: ao invés de vários legumes ralados eram fatias de cada legume passadas na massa individualmente, eu gostei muito :3 No potinho tinha um molho para o macarrão, bem suave. No pratinho em cima tem wasabi, gengibre ralado e a coisa branca acho que era nabo, yuck >: Feel Good gelado para beber, como de costume.




Charles comeu coisas mais light dessa vez :3 (Nota: preciso aprender a fazer sushi.)



Amorzinho :3

Também fomos no MASP ver a exposição "Roma - A vida e os imperadores" (que vai até dia 22, à propósito). Como não podia tirar foto lá, acabei não tirando foto nem do lado de fora... Queria ver a exposição sobre Romantismo também, mas meus pés não estavam me agüentando.

Voltamos pra casa, arrumei as malas e à noite antes de ir pra rodoviária ele me levou pra tomar sorvete, yay :3

Ah! As coisinhas que eu comprei ^^


CUTiE :3

Totebag da dazzlin, que veio de brinde na CUTiE


Slowking \o/

Também comprei um potinho de macaco pra minha irmã (que adora macacos) e uma caneca da Umbrella pro meu irmão. Aliás, tem caneca em quase todas as lojas do Sogo agora, a maioria custa R$20 e tem estampas bem variadas, vale a pena dar uma olhada :D

E foram esses meus dias em São Paulo ^^v No final do mês vou pra lá de novo, btw. TODOS COMEMORA *o*~~ -n

quarta-feira, 11 de abril de 2012

São Paulo - dia 3

Sexta-feira, meu penúltimo dia de viagem, eu e o Charles fomos no Aquário de São Paulo. Estava um calor ridículo de tão insuportável u_ú Mas o passeio foi legal!

O aquário tem, além de espécies de água doce e salgada, répteis (♥!), uma sessão de dinossauros (♥_♥) e alguns mamíferos. Infelizmente quando fomos ainda não tinham os pingüins, que fizeram falta, mas acho que as lontras lindas compensaram tudo :3


Ingressos



Sucuri preguiçosa >:



Uma tartaruga pegando carona na outra.



Sapo albino



Raia *-* Adoro raias, umas pena que essa não tenha subido no vidro pra vermos o sorriso dela :~



Jacaré albino



Amiga moréia :D



Peixes fluorescentes :O



Peixe Edward Cullen



Tem um peixe aí. Desafio vocês a encontrarem.



Tubarão derpino 8D



Gil, Bubbles, Dori e Marlin :D Tinha aquele compridinho obcecado por limpeza também, mas não consegui tirar foto dele :(



Lindo *O*




RAWR! *O*



Raposa voadora *O* Um morcegão frugívoro lindo :33



Lobo marinho



Charles controlando o peixe com o poder da mente.



Sabe aquilo que a gente aprende no Ensino Fundamental sobre o tempo que o lixo demora pra se decompor na natureza? Esse painel tem amostras desses lixos com a data. Deve ser interessante ver depois de muitos anos.



Nhown >3

Não consegui tirar fotos das lontras porque elas não paravam quietas nem um segundo (e acredito que isso seja parte do charme delas ;^;), então fiz esse mini-vídeo :3


Depois do aquário fomos na Liberdade, apesar do Charles ter falado que provavelmente estaria tudo fechado por causa do feriado. Na verdade até que tinha bastante lojas abertas, mas não a que eu queria (Hime-ya), nem a Fonomag, btw --' Enfim, pra não dizer que perdemos a viagem compramos um bento muito bom na Casa Bueno (acho que o melhor bento que eu já comi o_o") e voltamos pra casa.

O Cha ficou procurando lugares pra sairmos a noite, mas não achamos nada muito interessante e fomos dormir mesmo.