domingo, 20 de junho de 2010

Uma carta para jovens damas

Eu escrevo cartas há pelo ou menos 8 anos. Me correspondo com gente que nunca vi, brasileiros e algumas pessoas de lugares distantes. Para citar alguns países onde tenho correspondentes: EUA, Japão, Inglaterra, Alemanha, Itália, Polônia, Suécia, Portugal, Espanha e Lituânia.

Mesmo com blog, twitter, e-mail e tudo o mais nada como escrever e receber cartas! As letras feitas a mão, os envelopes gordinhos, pequenos presentinhos como folhas decoradas, cartões e adesivos. Trocar FBs, decos, label bags. O tempo e o carinho que as pessoas dedicam para nos enviar uma carta.

Traduzi este pequeno texto do Novala Takemoto onde ele fala sobre esse meio de comunicação tão especial ♥ Espero que gostem.


Eu aprecio receber cartas. Mais do que uma ligação, até mais do que um fax ou um e-mail, é claro que cartas são as rainhas quando se trata de meios de comunicação.
Por ser de uma profissão literária, eu naturalmente recebo cartas de amigos, mas também de pessoas que eu não conheço. Cartões postais feitos de placas de latão, anúncios e envelopes feitos individualmente usando papéis coloridos e festivos, artigos de papelaria que se tornam substitutos para descanso de copo, romper o selamento de uma carta e fogos de artifício saírem... por exemplo, o papel tipicamente usado para escola com as palavras "Neste momento estou na aula, então por favor desculpe pelo tipo de papel" escritas nele me faz indescritivelmente feliz.
Uma carta insinua a passagem do tempo. Uma vez que alguém tem a idéia de escrever uma carta, eles então escolhem o papel de carta ou o cartão postal (é uma sensação ótima quando você está na loja da esquina escolhendo cartões postais, e você pensa como se você estivesse comprando-os, "Vamos mandar esse para aquela pessoa"), e, se possível, você também leva em conta a cor da caneta e o selo.
Você escolhe suas palavras, e você pode ter escrito algo rude no passado, mas conforme você chora, você pode corrigir isso e escrever algo novo. O que você escreve é só um pouquinho mais educado do que sua fala diária, já que a carta é dotada de uma elegância própria das damas. Você poderia escrever algo do tipo "Ontem realmente se revelou ser bastante esplêndido", ou esse tipo de coisa, e terminar com "respeitosamente". Muito tempo e esforço foram colocados nessa carta, tudo pelo bem do destinatário.
Se acontecer de eu encontrar uma carta que contenha muito entusiasmo, eu gosto de imaginar que o autor teve muitas dificuldades, não importa quantas vezes eu volte a ler. Uma carta é onde humildade e imprudência coexistem em uma forma misteriosa de mídia. Ela tanto pode ser lida como pode não ser, há esse hábito de se ignorar a intenção do autor e ir de acordo com suas emoções pessoais arbitrariamente. Uma expressão facial dócil é, na realidade, pura vaidade. Então a carta, sim, se encaixa exatamente na personalidade de uma jovem dama, não?
É especialmente adorável quando, ao invés de usar o serviço postal, um presente é entregue pessoalmente. Sobre a coisa mais sem romantismo que você pode fazer é enviar um pacote pelo serviço de entregas expressa, embrulhado em papel pardo com uma etique nele. Seu sonho é que muitos garotos concorram pelo seu coração, talvez.


Créditos:
Original:
嶽本野ばら (Novala Takemoto) em Soleinuit
Tradução para o inglês: A Letter to Young Ladies em The Wild Rose Lolita
Tradução para o português: Ichigo


Ah! Antes que me esqueça: recomendo a comunidade Roriita Letters para lolitas e admiradores do estilo que desejem se corresponder. Vocês podem postar seus perfis na comunidade e entrar em contato com as pessoas que se interessarem para trocar endereços ou participar dos sorteios ^^

3 comentários:

  1. Lindo esse texto. realmente adoro escrever e receber cartas, tenho algumas correspondentes no Brasil e fora do Brasil.
    Beijos a você.

    ResponderExcluir
  2. O texto me lembrou um grande professor de português que tinha. Ele disse para classe uma vez que não importavam os meios de comunicação mais modernos (e-mail, fax, telefone, msn da vida) nada se compara a uma carta. Como descrito no post, ele dizia que uma carta carrega muito mais dedicação no momento da escrita, reflexão nas palavras e expressões usadas...
    Eu tinha o costume de me corresponder por carta quando era mais nova. (infelizmente perdi o costume com a internet ¬¬)
    Realmente era uma emoção escrever, escolher o papel, envelope, até mesmo a forma de dobrá-la. E a mesma emoção estava presente ao abrir uma carta recebida.
    Bons tempos. E bom saber que as cartas ainda são utilizadas por muitas pessoas!

    ResponderExcluir
  3. Cartas, foi assim que a gente se conheceu há sete anos! Eu confesso que adorava à época, logo no começo, que eu fiz bastante amigas verdadeiras, :D mas começa a ficar chato quando você se corresponde com gente que parece querer apenas números. -_-" Não sei se eu teria a mesma paciência que eu tinha antigamente, mas sinto falta de vez em quando. Lembra das cartas de 30 folhas? HAHAHA. Sinto saudades. ♥

    ResponderExcluir