terça-feira, 22 de setembro de 2009

30 coisas a se evitar num outfit lolita

Esse artigo não foi escrito por mim, foi retirado do Queen Victoria's Dolls.

Aqui copiei apenas as coisas a serem evitadas em si, mas recomendo dar uma olhada nas considerações iniciais e finais do artigo original.

30 coisas a se evitar num outfit lolita

1 - Se prender ao que você vê nas revistas japonesas. Não somos japonesas, não temos acesso às mesmas coisas, a mesma cultura e o mesmo clima. Além do mais, nenhuma revista que mostre moda lolita se mantém somente nela – é a Gothic AND Lolita Bible, afinal, e o Punk AND Lolita Handbook, por exemplo – e consequentemente nem tudo que se vê lá é lolita. Tente usar o que é no estilo e fica bem em você.

2 - Se prender excessivamente ao que artistas que se vestem de lolita fazem. Eles são pessoas da mídia e não usam as roupas como uma moda de fato, e embora possam servir de inspiração, nem tudo o que eles fazem é funcional com a moda. Copiar as produções completas (ou quase) desses artistas não é lolita, é cosplay.

3 - Fazer roupas sensuais e chamá-las de lolita. Nem mesmo erololita apela na sensualidade. A moda lolita NÃO tem a ver com sedução, fetiche ou sexo (embora, claro, as pessoas que usam lolita possam ter tudo a ver com isso).

4 - Exagerar na maquiagem, e em especial, usar batons escuros demais que borrem e manchem e não passem em nada nenhum dos conceitos lolita – o de parecer uma criança ou donzela, de nostalgia pela era Vitoriana ou Rococó, de recato – ou pintar o rosto de branco.

5 - Usar perucas altamente fake e artificiais.

6 - Não usar nada no cabelo. O estilo lolita é bem caracterizado por acessórios de cabelo, de laços, arcos, headdresses, mini-chapéus e mini-cartolas até simples fivelas enfeitadas. Não é nenhum crime não usar nada, claro, mas procure algo que funcione com sua roupa se possível.

7 - Usar headdresses enormes ou pequenos demais. Os primeiros podem te fazer parecer uma maid, e os segundos ficam apenas estranhos. Usar o headdress no começo da testa também não fica bem.

8 - Usar orelhas de bichos. Embora muito comum entre as decora japonesas e os otakus em geral, evite orelhas de bichinho para não lembrar cosplay.

9 - Esquecer de usar anáguas. Elas dão o formato mais comum em lolita (de sino) às saias e vestidos, e mantém o ar de boneca. Anáguas muito armadas, no entanto, não costumam funcionar se elas não tiverem o formato certo – e podem te dar um indesejado ar de festa junina.

10 - Usar APENAS anáguas. Embora ‘saias’ de tule já tenham sido vistas em erololi e punklolita, em geral é melhor manter as anáguas em seu devido lugar – sob a saia verdadeira.

11 - Deixar as pontas das anáguas aparecendo, especialmente se elas não tiverem renda no acabamento. Corte suas anáguas, ou as prenda se necessário

12 - Tecidos semi-transparentes. Desnecessário dizer que vestidos e camisas de tecidos muito finos mostram demais o corpo, o que não faz parte da moda lolita. (Certas camisas, no entanto, podem ter seu efeito atenuado pelo uso de uma blusa mais grossa por baixo, desde que a blusa não seja visível.) Mangas longas e semi-transparentes por vezes funcionam em gothic lolita e classical lolita.

13 - Tecidos brilhantes demais, especialmente cetim barato e veludo amassado ou molhado. O primeiro passa a impressão de fantasia de Carnaval ou Halloween (ou sex shop! =X) e os outros dois são muito usados em roupas góticas baratas, mas não ficam nada bem.

14 - Lycra, vinil e pvc. Corsets de vinil podem funcionar com erololi e raramente com punkloli, mas cuidado com a coordenação.

15 - Usar renda barata e larga nas roupas e acessórios. Renda de nylon, quando fina, pode ser bem satisfatória, mas para as mais largas e aparentes, prefira a qualidade do algodão. Usar renda em excesso também deve ser evitado.

16 - Usar um vestido de formatura, de festa ou vintage com lolita se ele não tiver a saia rodada do comprimento correto que comporte anáguas, se tiver decote, se for tomara-que-caia, tiver alças muito finas ou for feito de material inadequado.

17 - Usar minisaias ou vestidos muito curtos. O comprimento ideal pode ser de alguns dedos acima do joelho até vários dedos abaixo. Saias erololita podem ser mais curtas que as saias lolita normais, mas ainda asism não são curtas demais, não chegando nem perto do meio da coxa.

18 - Costurar renda, ainda que de boa qualidade, em saias retas, minisaias ou saias lápis e dizer que a saia é lolita. Costurar renda em camisas sociais ou tops pretos de alcinhas também não funciona.

19 – Usar decotes grandes. Aparecendo o “vão” entre os seios, o decote já está muito mais baixo do que deveria ser, mesmo em erololita, que geralmente mantém os decotes altos e acrescenta alças finas sem camisas. Um decote muito aberto mostrando grande parte do colo e dos ombros também não é adequado.

20 - Deixar a barriga aparecer entre a blusa e a saia, a qualquer custo.

21 - Não usar meias nem meia-calça. Meias são necessárias para o recato idealizado em lolita. Mesmo erololis costumam usar meia-calça, embora muitas vezes arrastão ou de renda. Meias que ficam bem com o estilo incluem meias até logo acima dos calcanhares, de aparência infantil, meias 3/4, meias 5/8 (logo acima do joelho) e meias-calças. Muitas vezes elas possuem acabamento em renda, mas ele não é indispensável.

22 - Usar meias listradas com toda roupa, mesmo que as cores e os estilos não combinem. Evite também meia-arrastão exceto com punk lolita e erololita, sobrepor meias-calças e meias curtas e usar meia-calça transparente (abaixo de fio 40).

23 - Usar botas punk, industriais ou góticas cheias de fivelas, zíperes e com plataformas altas com sua roupa bonitinha e cheia de babados. Mantenha-os em punklolita, no máximo.

24 - Calçar tênis, allstar, coturnos militares, sapatos de bico fino e salto agulha. Embora talvez alguns tênis possam ser adequados – e raros - em punk lolita, estes sapatos quase nunca ficam bem coordenados com vestidos e saias infantis/que lembrem uma boneca/vitorianos/de época.

25 - Calçar sapatos completamente destruídos e acabados.

26 - Sapatos pretos com roupas que não tenham preto, a não ser que elas sejam de tons escuros como verde esmeralda, vinho ou azul escuro. Sapatos pretos podem, no entanto, funcionar para um look azul claro que puxe para Alice, desde que a roupa não pareça um cosplay.

27 - Corsets com estilos infantis como sweet lolita.

28 - Bijouterias góticas como crucifixos imensos, anéis pontudos e afins. Bijouteria “gótica” pode funcionar muito bem com gothic lolita, no entanto, se mantiver-se em mente a parte lolita do estilo. Da mesma maneira, spikes, braceneltes com correntes e afins não ficam bem com lolita, exceto, em alguns, casos punk lolita.

29 - Luvas de ir à ópera ou de festa – aquelas luvas longas de cetim ou outro material, incluindo renda, até o cotovelo ou acima. Elas não combinam com a idéia de infantilidade do estilo lolita em geral, e raramente funcionam.

30 - Luvas de renda barata e dura, ou barata, mole e folgada. Elas podem arruinar uma roupa bem produzida, especialmente se o estilo geralmente não comportar luvas de renda, que são mais adequadas para gothic lolita e hime lolita.


Postado às 10:13

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Os 10 mais famosos/infames mitos sobre Lolita (e a verdade sobre eles)

Postei ontem e já estou postando de novo, isso é raro :X Mas senti uma vontade incontrolável de copiar isso aqui '-'

Esse artigo não foi escrito por mim, foi retirado do Queen Victoria's Dolls.

Os 10 mais famosos/infames mitos sobre Lolita (e a verdade sobre eles)


1 – Lolitas são sensuais, e gostam de apelar ao imaginário masculino/feminino.

A verdade: Há uma espécie de esforço coletivo entre as lolitas ocidentais para livrar o estilo lolita do estigma de sensualidade que o persegue graças à relação do nome da moda e do livro de Nabokov. As lolitas japonesas não passam exatamente por esse tipo de situação – lá a sexualização da imagem da lolita é em boa parte culpa de animes e mangás – mas é parte do estilo de vida que algumas adotam não querer crescer, e consequentemente manter o ar inocente de uma criança, e, portanto, tabu conectar lolita e sexo. (Vale lembrar que a grafia japonesa para lolita como estilo de moda é roriita, e para o livro, rorita) Mesmo erololitas não usam de apelo sexual, sendo apenas um pouco menos modestas que as lolitas de outros subgêneros.


2 – Mana criou o estilo lolita.

A verdade: A importância de Mana para a moda lolita como um todo é freqüentemente exagerada. Lolita como conhecemos começou a tomar forma nos anos 70, graças talvez à marca PINK HOUSE - e grifes muito importantes para definir o estilo como a MILK são dessa época (A MILK foi fundada em 1970, e fez várias coleções ‘lolita’ na década de 70, com inspiração na cute culture/’movimento kawaii’.) A revista Rococó fez uma lista das datas em que várias marcas lolita foram inauguradas, e mesmo levando em conta que o estilo mudou muito desde o início, essas datas provam que Mana dificilmente pode ter tido qualquer coisa a ver com a ‘invenção’ da moda Lolita.

Datas de fundação de várias grifes:

MILK: 1970
Angelic Pretty: 1979
Heart E: 1987
Algonquins: 1987
BABY, THE STARS SHINE BRIGHT: 1988
Putumayo: 1990
Metamorphose Temps de Fille: 1993
Miho Matsuda: 1996
MARBLE: 1996
VISIBLE: 1997
Peace Now: 1997
Moi-même-Moite: 1999
Victorian Maiden: 1999
h.NAOTO: 2000
Baby Doll: 2001
MAXICIMAM: 2001
Fairy Wish: 2003


3 – Mana criou o estilo gothic lolita.

A verdade: Algumas fontes citam que Mana disse em uma entrevista que descobriu o termo gothic lolita quando um repórter o usou para definir sua roupa de Bara no Seidou (do ano 2000). O fato é que o subestilo gosurori da moda lolita já havia surgido nas ruas japonesas na primeira metade dos anos 90. Existem várias especulações a respeito de como teria se dado a origem do gothic lolita - talvez o estilo houvesse sido influenciado por outras bandas de visual kei com membros com roupas inspiradas em lolita, como Missalina Rei (a banda começou em 1998) e seu Arisu Gawa Arisu, ou Lareine e seu baixista Emiru; ou talvez inspirado em designs de mangás como KISS XXXX, que virou anime em 1991; ou quem sabe até inspirado pela dupla Switchblade Symphony, extremamente popular no Japão na década de 90 e que influenciou artistas como Dada, do Pride of Mind e Velvet Eden. Creio qeu nunca saberemos ao certo.

A influência de Mana no gothic lolita foi bastante sentida, no entanto, com a criação de sua grife Moi-même-Moitié e suas linhas EGL/EGA, e ocasionou o gosurori boom de 1999 - 2001.


4 – EGL/EGA significa o mesmo que gothic lolita.

A verdade: EGL e EGA são apenas os nome das linhas de roupa da brand criada por Mana, e não estilos ou subestilos lolita – e muito menos sinônimos para gothic lolita como muitas vezes se usa.


5 – Gothic lolita é sinônimo de moda lolita.

A verdade: Gothic lolita é um subgênero da moda lolita original, que abrange todos os outros subtipos como sweet, classical e punk lolita.


6 – Aristocrat/Dandy/Ouji é parte do estilo lolita.

A verdade: Os três são independentes de lolita, embora muitas vezes se faça a conexão entre esses estilos e lolita. Eles não se originaram a partir da moda lolita, nem tiveram necessariamente muitas influências em comum (nota: os visuais ouji mais femininos, no entanto, são por vezes conhecidos como "ouji lolita") Na Moi-même, no entanto, a visão pessoal do Mana sobre aristocrat muitas vezes se confunde com sua visão de gothic lolita.


7 – Lolita/EGL/EGA é estilo de música.

A verdade: Lolita é um estilo de roupa e, para alguns, um estilo de vida, e nada mais.


8 – Lolita é parte do movimento* visual kei.

A verdade: Não é porque alguns músicos de visual kei se vestem de lolita no palco, fazem photoshoots para a Gothic & Lolita Bible e propaganda para algumas brands que lolita passa a ser parte do movimento.


9 – Toda lolita gosta de visual kei.

A verdade: Nem toda lolita gosta de visual kei, nem toda banda de visual kei vê com bons olhos suas fãs lolitas (vejam o exemplo dado por Dir en grey!) e há particular atrito entre lolitas fãs de visual kei – bandgirls - e outros fãs de visual kei... e outras lolitas. Dizem que lolitas que não são ligadas ao movimento visual kei geralmente não gostam de bandgirls e acham que elas se vestem de lolita somente para se encaixar com outras fãs e não porque elas simplesmente gostam.


10 – Gothic lolita = lolitas góticas.

A verdade: O termo foi criado no Japão para definir algo específico, e não simplesmente como a junção de uma ninfeta com a moda gótica. Você pode ter vários elementos de ninfeta e da moda gótica em seu visual e não ter nada em comum com uma gothic lolita.

Além do mais, o termo é usado em inglês, sempre. Se ele é um nome próprio que surgiu em inglês num país em que inglês não é a primeira língua, o termo não deve ser traduzido.


* Para fins deste artigo, em que visual kei aparece somente para desmistificar certas inverdades e explicar certos conceitos fundamentalmente lolita, usaremos o termo ‘movimento visual kei’. Não cabe discutir aqui se visual kei é um movimento, um estilo musical ou qualquer outra possibilidade.


Postado às 10:35

domingo, 20 de setembro de 2009

FAQ Lolita

Essa FAQ não foi escrita por mim, mas por ser concisa e bastante completa, acho que ela deveria circular pelo maior número de sites possível! (Informações corretas sobre lolita são preciosas).

Retirado do Queen Victoria's Dolls.

FAQ lolita

0- O que é uma FAQ?
FAQ é a sigla inglesa para Frequently Asked Questions, ou perguntas frequentes. Ou seja, um compêndio de perguntas que já foram feitas várias vezes ou dúvidas comuns, e suas respostas.


1- O que é Lolita?

Lolita é um estilo de moda originalmente japonês cujas origens remontam ao começo da década de 80 e teve seu auge no meio da década de 90. Inspiradas na cultura 'kawaii' (fofa; adorável; vulnerável) japonesa, na nostalgia de outros tempos - sejam períodos históricos ou simplesmente da própria infância - e com uma visão própria da moda romântica ocidental, as lolitas se dividem em vários subtipos, sendo alguns polêmicos e de existência controversa. Diversas vezes, certas lolitas têm uma visão um tanto quanto elitista com relação aos outros subgrupos - e quanto a quem elas não acham que deviam se chamar de "lolita".

Visualmente, o estilo pode ser superficialmente descrito como "fofo" e "inocente" , e embora essa seja a regra geral, existem exceções dependendo do subestilo e da própria lolita - classical lolita, por exemplo, é mais adulto. Na maioria dos casos, há também uma certa preocupação com parecer infantil, elegante ou modesta: não exibindo pele em excesso, não usando roupas muito curtas e evitando uma imagem sexualizada ou vulgar. Saias rodadas no comprimento do joelho, renda de boa qualidade, seja em quantidade moderada ou exagerada, linha de decote alta e tecidos pouco brilhosos são comuns em todos os estilos.

Independente do que se digaí, lolita é um estilo com características específicas e uma silhueta clara. Colocar uma saia com o formato errado ou um comprimento errado pode parecer original e uma quebra de convenções, mas na verdade está simplesmente saindo do estilo. Esteja à vontade para fazer misturas assim, mas chamá-las de 'lolita' pode acabar cvausando discussões de toda espécie.

O termo lolita (como moda) não possui relação direta comprovada com a Lolita de Nabokov. O uso da palavra lolita provavelmente é umas das apropriações de palavras estrangeiras cujo significado muda significativamente pelas quais os japoneses são conhecidos. (Talvez seja interessante notar que muitos termos japoneses também são apropriados pelos ocidentais em geral e muitas vezes também mudam se significado, como 'kodona' ou 'otaku.)


2- O que é Gothic Lolita?

Gothic Lolita (também abreviado como gl, gosuloli, gosurori e gothloli) é um dos muitos "gêneros" de Lolita - possivelmente o mais popular, a ponto do termo gothic lolita muitas vezes ser usado para abarcar todos os outros gêneros e ser confundido com um sinônimo de lolita.

O visual Gothic Lolita é inspirado na Era Vitoriana, e tipicamente inclui muito preto, algum branco e variações de azul escuro e cinza em tons sóbrios, renda, veludo, tafetá, um eventual corset, camafeus, e às vezes cruzes ou crucifixos. NÃO deve ser confundido com EGL.

O termo certo é Gothic Lolita, não Gothic & Lolita. O erro comum vem da revista Gothic & Lolita Bible - sendo que o "&" na revista indica que nem tudo lá "gothic" nem "lolita", mas relacionados a um ou ao outros.

Mana não criou o estilo Gothic Lolita, nem criou o nome.


3- O que é EGL?

EGL significa Elegant Gothic Lolita. É um termo cunhado por Mana, ex-guitarrista, compositor e líder da banda de visual kei Malice Mizer e atual guitarrista e compositor do projeto solo Moi dix Mois. O EGL representa a visão dele da Mulher Perfeita. Segundo a definição do próprio:

"A inocência de uma donzela, seu encanto, sua doçura,
E seu amor pela miséria alheia
Existe dentro de cada um de nós, e as memórias disto,
Transformadas na imagem de um estilo
É E.G.L [Elegant Gothic Lolita]
Com babados, laços e renda em profusão,
Como se fosse uma boneca antiga
Embora possa ser simplesmente uma criação de pura predileção
Busquei um vestido que faça-vos sentir que, em algum lugar, ele possui 'veneno'
E vos peço que testem as memórias de sua época de donzela."


EGL não é uma subdivisão do lolita, e não possui nenhuma subdivisão em si. EGL não é um estilo Lolita, mas a definição criada para a linha de roupas gothic lolita da loja pertencente a Mana, a Moi-même-Moitié. Ele não é o criador da moda lolita, embora seja parcialmente responsável por ajudar em sua difusão.

As lolitas que usam roupas da linha EGL costumam ser fãs de Mana, Malice Mizer e muitas vezes usam maquiagem mais pesada que as outras lolitas. Se comparado ao Gothic Lolita, no entanto, as roupas EGL podem ser consideradas mais formais e mais sóbrias em matéria de babados, laços e renda.


4- E EGA? Ou é a mesma coisa?

EGA significa Elegant Gothic Aristocrat e foi outro termo cunhado por Mana. Ao contrário do que muitos pensam, as lolitas japonesas só aceitam que o rótulo seja usado para as roupas da Moi Même Moitié. No entanto, o estilo original do qual as roupas EGA se baseiam, o aristocrat, está presente grifes Alice Auaa, Atelier Boz, Atelier Pierrot e Miho Matsuda, entre outras. Embora receba simplesmente o nome de 'aristocrat' no Japão, no Ocidente o estilo como um todo diversas vezes acaba englobado pela sigla EGA. Segundo Mana:

"Como a palavra aristocrata mostra,
a doutrina básica de E.G.A é a fusão do "belo e do sublime."
É masculino, é feminino
Não é masculino, nem feminino
Hermafroditismo, androginia
Enquanto buscando este tipo de charme neutro, é
Uma roupa escondida em incerteza e em sublimidade arrepiante
Este é o conceito de E.G.A (Elegant Gothic Aristocrat)
Aristocrático e digno de uma dama,
Como um anjo ou como um demônio,
A direção que tomar de vós depende."


As pessoas que vestem EGA às vezes são um pouco mais velhas que a média lolita. As saias costumam ser longas, e calças também são usadas. O corte das vestimentas é mais maduro, e há menor profusão de babados e renda, e poucos laços. A maquiagem também costuma ser mais adulta.


5- O que é a Gothic & Lolita Bible?

É uma revista de moda Lolita japonesa, abreviada como G&LB. Ela trata de coisas relacionadas tanto ao Gothic quanto ao Lolita (todos os subestilos), daí o "&" no centro. Traz dicas de moda, estilo, maquiagem, penteados, música e comportamento, os mais recentes lançamentos de grifes Lolita, ensaios fotográficos com astros do rock, pop e música eletrônica japonesa que se encaixem no conceito da revista (Praticamente todo número tem um ensaio com Mana e um com Kana ou Aya. Recentemente Hakuei tem aparecido muito também) e 'ícones' da cultura lolita, receitas, moldes e etc. O primeiro número da revista foi publicado pela editora Bauhaus, e os seguintes pela Index.


6- Essa é a única revista de moda lolita?

Não. A concorrência é liderada pela Gothic Lolita and Punk Brand Book, embora outras duas revistas proeminentes existam: Rococo - que teve apenas dois volumes publicados - e Clara Bow. Outras revistas que tratam do tema incluem a GosuRori (uma revista de moldes), Gothic & Lolita Bible Extra e Gothic & Lolita Hair and Make-up Bible. A revista de moda alternativa Kera muitas vezes tem lolitas estampadas em seus editoriais e fotos de rua, assim como a FRUiTS.


7- E livros com quilos de fotos para referência?

Existem muitos que retratam apenas a moda lolita e outros que falam dela e de outros estilos. Lolita Fashion Fancier, FRUiTS, Fresh FRUiTS e J-Rock Groupies (um título um tanto quanto polêmico) são bons exemplos. Os catálogos das principais grifes são obviamente boas referências também.


8- Quais são as principais grifes lolita?

Alice Auaa, Angelic Pretty, Atelier Boz, Atelier Pierrot, BABY, THE STARS SHINE BRIGHT, Black Peace Now, h. NAOTO, INNOCENT WORLD, Metamorphose Temps de Fille, Moi Même Moitié, Na+H, Putumayo e Victorian Maiden são algumas das mais conhecidas. Existem centenas de grifes de lolita dedicadas aos mais diversos subestilos. As principais grifes ligadas a cada gênero estão listadas nas descrições de cada um dos estilos.


9- Quem são os ícones lolita que você citou antes?

Os dois mais famosos ícones lolita são, discutivelmente, Novala Takemoto e Mana.

Novala Takemoto é um escritor, famoso no ocidente especialmente por Kamikaze Girls (Shimotsuma Monogatari, transformado em filme com Kyoko Fukada e Anna Tsuchiya nos papéis principais) estrelando como uma lolita e uma yankee, espécie de motoqueira de gangue japonesa. Ele escreveu vários livros e contos, escreve freqüentemente para a Gothic & Lolita Bible e também sai em photoshoots. Novala ainda assina uma linha de roupas e acessórios na loja BABY, THE STARS SHINE BRIGHT. Recentemente ele foi aos Estados Unidos, onde participou de um imenso chá com fãs selecionadas.

Mana é compositor, guitarrista, designer de roupas, e a mente criativa por trás do projeto solo Moi dix Mois e da extinta banda Malice Mizer. Ele é provavelmente a imagem mais conhecida de gothic lolita, com seus traços fortes e maquiagem trabalhada, mas esta não é a única faceta do estilo. Ele está presente em praticamente todas, se não todas, as Gothic & Lolita Bibles. Seu fãclube foi aberto para os fãs ocidentais em 2004.

Akinori Isobe, o lendário fundador da BABY, THE STARS SHINE BRIGHT, também é um bocxado idolatrado em certos meios.

Artistas famosos que freqüentemente se vestem no estilo lolita incluem Kana, uma polêmica cantora conhecida por fazer suas próprias roupas e mascotes e por cantar num tom curioso; Nana Kitade, que subitamente assumiu uma imagem punk lolita após alguns singles, vem mantendo-se dentro dos subestilos lolita, e recentemente julgou um concurso de visual lolita nos EUA; Aya, ex-guitarrista das bandas Psycho le Cému e Isabelle, também aparição freqüente na Gothic & Lolita Bible; Bou, o ex-guitarrista da banda Antic Cafe, que quase sempre se vestia no estilo, mas usando influências decora; Yue, ex-guitarrista do AILE, atualmente na banda Kanaetai e modelo da grife A+Lidel; Riku, um dos mais constantes modelos da Gothic & Lolita Bible e das grifes Putumayo e UNION JACK; e a dupla Kokusyoku Sumire, que são algo como garotas-propaganda da Angelic Pretty..


10- Quais são os outros estilos lolita?

Os mais comuns são:

Classical Lolita/Classic Lolita/Roriita - o estilo "original", com roupas em tons como esmeralda, vinho, chocolate, creme, variações bonitas de xadrez e florais, tecidos nobres, saias mais longas que as dos outros e acessórios elegantes, sem muitos babados, laços ou excesso de renda.

Sweet Lolita ou Amaloli é o estilo mais infantil e doce, com tons pastéis, estampas engraçadinhas com bichos, bolinhas, xadrezinhos, listras finas, sapatos, sorvetes, doces... qualquer padronagem "fofa" pode se encaixar desde que não saia dos padrões de cores e dos modelos engraçadinhos com fitas, laços e babados muitas vezes em profusão.

Punk lolita é um estilo difícil de funcionar bem já que o equilíbrio entre o agressivo do punk e o doce do lolita muitas vezes é prejudicado por certos elementos. Xadrez, combinações de preto e vermelho, listras, camisetas estampadas com motivos lolita, caveirinhas, correntes são muito comuns. As punk lolitas com visuais mais bem-sucedidos dificilmente abrem mão das saias rodadas, mangas fofas e/ou outros itens basicamente lolita de suas vestimentas.

Outros subestilos dignos de menção são o kurololi/shirololi/alguma-corloli (vestida inteiramente ou quase inteiramente na mesma cor, geralmente baseada em sweet), o himeloli (a lolita "princesa"), o country lolita (uma espécie de híbrido entre sweet e classical lolita - ou sweet lolita - em versão 'campestre', que usa de xadrezinho e estampas de frutas e flores, e acessórios de palha ou vime), e o erololi (lolitas com decotes um pouco maiores, saias mais curtas e um apelo um pouco mais maduro que suas 'irmãs' mais novas).


11- Por que você não listou o fantástico sunburned lolita ou o Elegant Gothic Yakuza (ou outro estilo completamente aleatório)???

Porque eles não existem. Vários estilos citados na Internet afora simplesmente são invenção de uma pessoa ou um grupo de pessoas - incluindo, raramente, marcas que fazem dadas linhas e as nomeiam e fãs que começam a usar a denominação como a do estilo ao qual a roupa pertence, como o EGL da Moi-même-Moitié ou o sailor lolita da Metamorphose Temps de Fille - para classificar umas poucas roupas e visuais ou para criar mais um subestilo com a intenção de definir melhor algo que já se encaixa (como, digamos, Alice lolita ou strawberry lolita). A maior parte das vezes, esses subestilos duvidosos não são sequer sonhados no Japão a não ser como conceitos individuais e de certos outfits (como strawberry lolita) e outros simplesmente não são sonhados no Japão (como industrial lolita) e embora ajudem a imagem mental de uns poucos, só servem para aumentar a dúvida geral.


12- E Kodona? Esse eu SEI que existe!

Kodona é um termo que foi usado uma vez pelo vocalista do Plastic tree, Ryuutarou, em entrevista a Gothic & Lolita Bible, para descrever seu próprio estilo. Fãs ocidentais começaram a considerar qualquer coisa parecida com este estilo (calças curtas, listras, camisas - na época) como "kodona", que literalmente significa kodomo + otona, criança + adulto. O termo nem sequer é conhecido no Japão, sendo apenas um ocidentalismo. O termo original e que usaremos neste site é ouji ("príncipe"), também conhecido como oujisama.


13- Então ouji é a versão masculina da lolita?

Não exatamente e não necessariamente. Ouji não tem que ser uma coisa ligada à lolita de forma inerente, tendo começado como um estilo separado e provavelmente derivado dos teddy boys ingleses tanto quanto dos meninos vitorianos, e em algum ponto influenciado pelos fãs de visual kei. No entanto, por sua imagem de menino e por sua freqüência entre fãs de lolita e em Harajuku, é certo que o ouji pode ser visto desta maneira.

O dandy da cena da moda japonesa atual também pode ser visto desta maneira.


14- Dandy?!

O dandy se inspira vagamente nas roupas usadas pelos verdadeiros dandies Vitorianos, homens de boa renda e fantástico senso estético, mas nunca pertencentes à nobreza. Ele também são influenciados pelo gótico e o punk, e por roupas masculinas clássicas de várias épocas. No entanto, ao contrário do dandy original, que tinha aversão à excentricidade e buscavam aparente simplicidade em suas roupas bem cortadas e feitas com tecidos luxuosos, os dandies vistos neste contexto são um tanto quanto exóticos.

Há quem defenda a existência de dois subtipos de dandy, o british style, que envolveria padronagem xadrez e jabots, e o gothic style, mais obscuro e similar ao aristocrat. No entanto, a linha que separa estes supostos subestilos é muito tênue e para os fins deste site, decidimos não tentar fazer esta separação. Há também quem diga que o dandy atual é uma vertente do ouji ou do aristocrat - no Japão, geralmente, não se faz distinção em termos de nome entre dandy e aristocrat.


15- Então o dandy é um homem adulto. E a mulher adulta, não existe?

Existe sim. Ela pode ser uma aristocrat, seguindo basicamente as mesmas premissas já descritas em EGA, ou um termo recente tirado da moda gótica japonesa, madam. As madams têm um quê de decadência contrastando com sua elegância, e freqüentemente usam saias longas ou com caudas, xales, peles, corsets e gargantilhas de renda ou canutilhos. Elas lembram mais cortesãs que nobres.


16- Lolita é cosplay?

Não. Lolita é um estilo. Cosplay é uma fantasia, e não moda. E, acima de tudo, não se faz cosplay de lolita, embora essa expressão seja usada por vezes - especialmente nos Estados Unidos e Europa - de maneira derrogatória para falar de quem se veste ocasionalmente (e geralmente sem colocar qualquer esforço em usar roupas bem-feitas, combinadas e no estilo) como lolita; alguém fantasiado de lolita, e não uma lolita 'de verdade'.

Falar de lolita como se fosse cosplay é uma maneira fácil e rápida de irritar boa parte das lolitas de qualquer lugar, especialmente as que levam a moda a sério e gostariam de se vestir ou se vestem segundo o estilo frequentemente.



Postado às 22:40

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cena Lolita

Depois de alguns posts bem bobinhos resolvi deixar de ser preguiçosa e escrever alguma coisa de fato. Espero que gostem do post, vou falar sobre meu assunto favorito de novo: LOLITA.

A cena lolita no Brasil

Existe uma cena lolita no Brasil? Existe, e é bem fragmentada. Primeiro analisemos o perfil adeptos do estilo: ouvem mais ou menos o mesmo tipo de música, freqüentam os mesmos lugares, tem um monte de coisas em comum. Ok, é mentira. Lolita é roupa e, além da roupa, você não precisa ter mais nada em comum com ninguém. (Olha, eu disse que não precisa, não que não pode, dik).

Naturalmente há muita gente com coisas em comum, sim (afinal todas as pessoas do mundo tem coisas em comum - mesmo se você não for desse mundo em algum ponto vai achar alguma coisa semelhante). Veja por exemplo o modo como você conheceu o estilo. Salvo algumas exeções acredito que tenha sido por uma dessas a seguir:

Anime: Certo, lolita não é cosplay e mesmo que hajam personagens que se vistam no estilo copiar a roupa deles ainda é cosplay. Tem gente que tem ogeriza da relação entre anime e lolita (não vou discutir isso, só comentei). Chii, Misa, Sakura e as bonecas de Rozen Maiden não são lolita. Muitos animes tem personagens com roupas inspiradas em lolita, de fato, porque isso combina com o padrão de beleza "kawaii", não porque tem alguma relação histórica ou coisa assim. Mas, enfim, o anime com suas "inspirações lolita" contribuem para que otakus cheguem à moda lolita (se conhecem de fato ou acham que maid e lolita é a mesma coisa é outra história).

J-Rock: Esse foi meu caso, vejam se você se identifica: Uma amiga fã de Moi dix mois me passou uma música da banda (que até então eu não conhecia). Fui atrás de saber mais sobre a banda e me deparo com uma foto do Mana. Imediatamente eu, que até então era gótica trevosinha Nightwish 4ever, pensei: "OMG, que visual foda! *-*" Depois descobri que aquilo era gothic lolita (tá, eu não tinha noção de que a trevozice da maquiagem dele era over, mas isso é irrelevante). Conheci lolita através do Mana. Mais alguém?

Moda japonesa: Creio que isso seja mais raro, mas é mais ou menos assim: pessoa fã dos estilos japoneses (Harajuku em geral) olhando fotos random vê uma coisa fofa e frufru e pensa: "oh, o que é isso? :O". Pesquisa e descobre que é lolita.

Perceba que em nenhum dos casos falei que a pessoa decide virar lolita (ou acaba virando ita), mas que são algumas maneiras comuns de se conhecer o estilo. Ah! Se alguém aí conheceu de uma forma diferente conte pra mim que eu vou ficar feliz em ouvir :D

Pois bem, esses "grupos" de diferentes formas de se chegar ao estilo podem se isolar ou não (tipo: "Você é otaku e n00b, acha que lolita é maid então não vou andar com você!"), mas por mim dane-se essas tretinhas! Se você quiser conhecer o estilo e não for um rbd cheio de mimimi porque alguém disse que sua roupa não era lolita provavelmente eu vou te achar amor e vou querer te ajudar. (Se não eu vou achar legal te zoar e encher o saco. Eu sei que isso é muito feio, não sigam meu exemplo ^^").

Explicando melhor: em questões de origens, pode rolar uma panelinha. Mas eu acho normal já que isso pode significar uma maior afinidade, né? Independente de haver uma separação por origem ou não pra mim o grande "ponto de encontro" das lolitas daqui é a internet. Há várias adeptas do estilo por todo o Brasil (coloquei no feminino porque não conheço nenhum menino que faça lolita regularmente) e como a distância geográfica é grande a internet quebra um galho. Só para citar alguns lugares onde há uma concentração considerável de lolitas: São Paulo (óbvio), Brasília, Rio de Janeiro e (sim!) Belém do Pará. Aliás, como comentário pessoal, gosto muito das lolitas do Pará ^__^ São Paulo é a cidade com maior número de lolitas (e também de itas), mas isso é algo de se esperar. A sorte de quem mora nessas cidades é ter encontros de vez em quando pra conhecer mais gente que curte o mesmo estilo que você (e provavelmente tem mais coisas em comum também - não é regra, mas como já disse antes, é bem possível).

E quem não tem encontro? E quem é a única lolita da sua cidade? Nada impede de que você saia feliz e contente em um full cordinate a la Angelic Pretty, mas acredito que não sejam muitas as pessoas com coragem pra isso. Então, salvo os encontros, os locais mais comuns para se encontrar lolitas são eventos de anime e outros eventos de cultura japonesa (inclui bon odori e outros festivais). É, o pessoal que vai nesses lugares costuma ter uma tolerância mais alta a esses estilos diferentes (mas experimenta sair no centro de uma cidade pequena/média pra ver se não vão gritar e apontar pra você! Sim, infelizmente educação não é uma coisa que todo mundo usa).

Então... encontros, eventos, internet. Basicamente é aí que as lolitas estão. Tem quem use lolita em qualquer oportunidade que tenha, para ir ao cinema ou num aniversário (tipo eu aqui, oi :D), mas... é, não vejo muito disso por aí.

Serei um pouco mais específica agora.

Eventos de anime: Desculpa, gente, mas a maioria das "lolitas" que se vê nos eventos é ita. Ou um cosplay capenga com algumas modificações "lolitáveis". Claro que tem as lolitas super win que também usam lolita nos eventos, mas uma coisa que observei no último Anime Friends é que raramente o público geral vai se tocar que VOCÊ, lolita linda que pesquisou, economizou pra comprar/fazer uma coisa decente e se empenhou em cada detalhe, é quem realmente está de lolita, e não as meninas cobertas de cetim, renda barata, meia arrastão e com a calcinha aparecendo. Eu acho isso muito triste, mesmo.
Recentemente está acontecendo uma enxurrada de "concursos" e "desfiles" lolita nos eventos. Sinceramente, eu não entendo como algumas pessoas se inscrevem nisso achando que estão de lolita. O último que teve foi no Anime Con (também teve uma sala lolita com doces e acessórios a venda), que é a exceção, já que as organizadoras sabiam o que estavam fazendo e conheciam o estilo (mas isso não impediu gente nonsense de se inscrever, claro).
Ahh, estou me prolongando demais nisso, futuramente faço um post sobre lolitas e anime, por enquanto basta saber que evento de anime é certeza de encontrar muitas itas e algumas lolitas :)

Eventos de cultura japonesa em geral: Mais pessoas que conhecem/gostam do Japão, mais chances da pessoa conhecer/entender o estilo ou pelo ou menos aceitar que é uma coisa diferente e não apontar pra sua cara e rir (Y) Não me lembro de itas nesses eventos (mentira, lembro de uma numa Feira Japonesa em Recife, mas aquela garota é diva das itas, é redundante), mas são poucas as lolitas. Ainda assim, tem, por isso vale a pena citar. (Onça no Londrina Matsuri \o/)

Internet: Ahh, a internet! Lolitas tem bastante espaço nela. As lolitas do Brasil encontram-se, como é de se imaginar, no orkut. Só para citar algumas comunidades temos a Gothic Lolita original, que não é a maior, mas a melhor comunidade sobre o assunto. Lá postam notícias principalmente e discussões. A comunidade já foi invadida e deletada uma vez, mas se recuperou rapidamente :D. A Daily Lolita é onde postamos fotos das roupas que usamos, geralmente numa proposta mais casual, mas vez ou outra aparecem outfits mais elaborados ♥ Na Tutoriais - Lolita há, como o nome diz, tutoriais relacionados à moda lolita. É muito útil principalmente para quem quer aprender a confeccionar os próprios acessórios e roupas. O tópico de dúvidas da comunidade é bem movimentado (mais do que o da comunidade Gothic Lolita. Aparentemente as novatas que têm medo de postar na GL recorrem à Tutoriais ^^). A Lolita Sales é o lugar para anunciar vendas e, raramente, postar um tópico para ver se alguém tem o que você quer comprar. E uma comunidade recente, mas que gosto muito é a Lolita Valentines. A proposta da comunidade é homenagear as lolitas de quem mais gostamos *-* Já ganhei um valentine ♥ Espero que a comunidade fique mais movimentada ^^v

Bom, não temos uma cena bem desenvolvida ainda. É possível perceber tamanha a estranheza da maioria das pessoas quando falamos em "lolita". Fique registrado que eu odeio a associação com o livro do Nabokov. Nós não somos garotinhas de 12 anos precoces querendo fazer coisas com caras de 40, tá?

Atualmente há bem mais informação disponível, e acho impressionante que exista tanta coisa errada. O povo tem preguiça e/ou não sabe onde procurar? E pra ajudar há diversas mídias divulgando coisas nada a ver, como por exemplo as revistas Capricho e WITCH (isso já faz um tempo, e até comentei aqui) e mais recentemente o site da editora Abril (repare que é tudo da Abril :T). É difícil querer que a cena cresça com esse tanto de informação errada (e ainda por cima vindo de uma editora de renome). E aí, por mais que lolitas se esforcem em traduzir textos, criar sites e postar em seus blogs (!) sobre o assunto, em quem, digamos, uma adolescente comum de classe média vai preferir acreditar: na sua revista favorita ou em um bando de meninas da internet que ela nunca viu? Pois é.

É difícil fazer um estilo vingar sem uma cena definida. Se mais lolitas se unissem e tivessem coragem de sair por aí montadas o povo iria se acostumando. Talvez continuem não gostando e olhando torto, mas se acostumariam. E quando vissem uma menina com um vestido poofy, sapatos de boneca e laço na cabeça ao invés "WTF? D:" pensariam "Ah, uma lolita..."

Pro inferno a síndrome de underground. Lolita é roupa, é moda. E eu quero mais é que vire modinha e que tenha uma loja em cada esquina. E o que vai acontecer? Simples. Vão ter mais lolitas. Vão ter mais itas. Vai ter gente que não é adepto do estilo e quer comprar uma peça ou outra pra usar sem ser num outfit lolita. E vai dar pra você usar um estilo que você gosta sem ter que desembolsar mais de R$500 incluindo shipping e shopping service. Como faz pra isso acontecer? A cena tem que crescer. E como faz pra cena crescer? Mais lolitas. Se doer na síndrome de floco de neve especial de alguns, fazer o que.



Postado às 13:03

Sinal de vida

Sinal de vida

Sim, faz um tempinho que não posto ._. Falta de assunto + falta de tempo = blog abandonado. My bad.

Semana retrasada ganhei uma Gothic & Lolita Bible americana, presente da minha amiga Kathryn ♥ Foi surpresa, não sabia que ela ia mandar nada. O melhor de tudo é que é a edição nº 5, que tem lolitas de Brasília! Incluindo a Carol Valentine ♥__♥

Semana passada chegaram minhas meias de morango da Body Line, são tão lindas *O* Ontem chegou meu pacote da Sechuna *-* Agora estou esperando a saia de morangos (da Body Line também) que deve chegar no decorrer da semana (ou semana que vem, graças ao feriado). Já paguei um par de meias da Innocent World e logo logo vou pagar a G&L Bible nº 1 japonesa ^__^


Ah, que post fútil D: Mas enfim, era pra dar um sinal de vida...

Now, today's ichigo ~♥!



Snapshot da minha pupe hoje ^^ Gostaram? Me adicionem no Pupe :) Quem não tiver ainda e quiser fazer, me deixe o e-mail para eu enviar convite *-*


Postado às 0:52